ARTICULISTAS

Nova geração prefere saúde e bem-estar a salário alto e condições de trabalho não saudáveis

Publicado em 08/06/2024 às 18:13
Compartilhar

Em meio aos desafios e demandas do ambiente de trabalho moderno, a atenção ao bem-estar mental dos funcionários nunca foi tão crucial. Um ambiente de trabalho mentalmente saudável não é apenas um benefício adicional, mas sim um requisito fundamental para o sucesso e a sustentabilidade de qualquer organização. E vem sendo prioridade para os brasileiros. Numa pesquisa feita em janeiro de 2024 por uma plataforma de currículos on-line, a Onlinecurriculo, 56% de quinhentos dos brasileiros entrevistados priorizam um ambiente de trabalho saudável. 

Os entrevistados tiveram que levar em conta o seguinte cenário: se sairiam de uma empresa que apresente um ambiente de trabalho que não seja saudável, mesmo que o salário fosse satisfatório. Em uma escala de zero a dez, onde zero indicaria que o trabalhador não sairia da empresa e dez representando que certamente sairia, a grande maioria dos respondentes indicou que não permaneceria na instituição. 26% escolheram o número 10; 11%, o 9, e 19%, o 8. Somadas, as colocações que priorizam um ambiente de trabalho saudável chegam a 56%, enquanto apenas 4% ficariam no emprego pelo bom salário. 

Um ambiente de trabalho que promove a saúde mental dos funcionários oferece inúmeros benefícios, como a redução do estresse crônico, capacidade de lidar com desafios e contratempos de forma construtiva, mantendo um nível saudável de funcionamento emocional e psicológico e pode levar a um aumento significativo da produtividade e do desempenho geral da equipe. Além de fomentar a criatividade e inovação.

Várias empresas já estão atentas a essas questões. O Banco Mercantil, por exemplo, foi uma das instituições que receberam, neste ano, o selo Mental Heath, do GPTW. O selo mede os índices de bem-estar da empresa e é representado por uma nota de 0 a 100, que denota o perfil de como o time tem se sentido. Ele é concedido a partir de 70 pontos na pesquisa. O Mercantil alcançou o Estágio Estratégico, somando 84 pontos, uma nota superior ao benchmarking das demais empresas participantes. O novo selo demonstra a preocupação do Banco no cuidado com as pessoas, criando ambientes mais seguros, diversos e respeitosos. 

Para Priscila Lopes, gerente de Talentos e Cultura, é a coroação de um trabalho que a instituição vem desenvolvendo. “As pessoas perceberem que o Mercantil tem esse ambiente psicologicamente seguro, que propicia o bem-estar do colaborador em todas as suas nuances, tanto físicas quanto mentais. O selo traz um feedback de como estamos atuando em termos de gestão e cultura. Obtemos um percentual de 84% de favorabilidade, numa nota que vai de 0 a 100, e a gente ainda tem 16% de possibilidade de melhoria. Esse é o nosso objetivo. Estar sempre em evolução no que diz respeito a um bom ambiente para se estar e trabalhar”.   

A profissional destacou, ainda, a importância de um ambiente mentalmente saudável para se trabalhar e como isso é valorizado pelas novas gerações. “Conseguimos desenvolver nossas atividades de forma plena! Criatividade e produtividade se misturam de forma positiva. As novas gerações valorizam ambientes que possam se expressar e desempenhar todas as suas habilidades. Isso é tão valorizado quanto os aspectos de salário e benefícios”, disse.  

Conscientização. As Gerações Y ou Millennials – nascidos entre 1981 e 1996 – e a Z, composta por jovens nascidos entre meados dos anos 1990 e o início dos anos 2010, cresceram em um mundo marcado por uma crescente conscientização sobre questões relacionadas à saúde mental. Dessa forma, eles estão mais atentos do que nunca aos impactos que o ambiente de trabalho pode ter em seu bem-estar psicológico e emocional. 

O salário, de certa forma, já não tem a mesma importância de antes. Hoje em dia, fatores como a flexibilidade e a saúde mental pesam mais, tanto que, de acordo com um relatório da plataforma de People Analytics Canadense Visier – que contou com 1.000 entrevistados, os profissionais estão evitando cargos de gestão, para terem mais tempo livre. As metas relacionadas ao local de trabalho não superaram as três principais ambições dos entrevistados. São elas: passar tempo com a família e amigos (67%), ter saúde física e mental (64%) e viajar (58%). Apenas 9% colocam como prioridade se tornar um gerente de pessoas e 4% afirmam se tornar um executivo de alto escalão.

Promover um ambiente de trabalho mentalmente saudável requer, portanto, um compromisso contínuo por parte da liderança e de toda a organização. Isso envolve a implementação de políticas e práticas que incentivem o equilíbrio entre vida pessoal e profissional, o acesso a recursos de apoio, programas de treinamento em saúde mental e a criação de uma cultura que valorize a abertura, a empatia e o respeito mútuo.

Assuntos Relacionados
Compartilhar

LEIA MAIS NOTÍCIAS

Dom Paulo

Sucesso e fracasso

14/06/2024 às 18:19
Nilson de Camargos Roso

Polarização política: causa ou consequência?

14/06/2024 às 18:18
Articulistas

A armadilha de Tucídides

12/06/2024 às 19:39
Marco Antônio de Figueiredo

Em silêncio, mas observando!

12/06/2024 às 19:36
Marcia Moreno Campos

Vovó

11/06/2024 às 20:07
Ana Maria Leal Salvador Vilanova

Murphy, o outro

11/06/2024 às 18:06
Arahilda Gomes

A música e sua influência

10/06/2024 às 18:09
Renato Muniz Barretto de Carvalho

Era só o que faltava

10/06/2024 às 18:08
Heloisa Helena Valladares Ribeiro

Nada de novo

10/06/2024 às 18:06
Ani e Iná

Continentes se unem

08/06/2024 às 18:14
Logotipo JM Magazine
Logotipo JM Online
Logotipo JM Online
Logotipo JM Rádio
Logotipo Editoria & Gráfica Vitória
JM Online© Copyright 2024Todos os direitos reservados.
Distribuído por
Publicado no
Desenvolvido por