JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 14 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Mesmo após regulação dos leitos regularizada, Saúde articula implantação de sistema federal

Cidade voltou a ter acesso à regulação de leitos, conforme adiantou o JM Online

03/12/2019 - 06:58:40. - Por Gisele Barcelos Última atualização: 03/12/2019 - 07:00:01.

Divulgação


Iraci Neto, secretário de Saúde, diz que o sistema de regulação de leitos do governo federal é uma ferramenta mais moderna que a do Estado

Estado e município resolveram impasse sobre acesso ao sistema de regulação de leitos hospitalares. Desde domingo (1º) a Prefeitura voltou a ter acesso total à ferramenta, sem restrições às funcionalidades, conforme adiantou o JM Online. O secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, se reuniu ontem com representantes da Superintendência Regional de Saúde para tratar do assunto.

Apesar de o problema ter sido resolvido, Iraci afirmou à reportagem do Jornal da Manhã que continua em articulação com o Ministério da Saúde para a implantação do sistema federal de regulação de leitos. No entanto, ele afirma que a transição entre as ferramentas será feita de maneira integrada com o Estado e todos os cuidados serão tomados para evitar problemas no atendimento das solicitações de leitos hospitalares para pacientes de outras cidades da região. O secretário municipal de Saúde justifica que a opção pelo sistema do Ministério da Saúde é porque se trata de uma ferramenta mais moderna do que o software apresentado pelo Estado em 2007.

O impasse sobre o acesso ao sistema de regulação de leitos começou na semana passada, quando o Estado suspendeu a senha utilizada pelo município para entrar na ferramenta. A Secretaria Estadual de Saúde acusou o município de usar o sistema de maneira inadequada e questionou a decisão do município de dar prioridade à internação no Hospital Regional para os pacientes de cidades que estão contribuindo financeiramente para o custeio do serviço.

Na última sexta-feira (29), uma reunião foi intermediada pelo Ministério Público, e a Promotoria determinou o restabelecimento do acesso total da Prefeitura ao sistema informatizado. Entretanto, inicialmente, a senha liberada estava com várias ações ainda bloqueadas para o município. A situação só foi regularizada por completo na noite de domingo.

Em entrevista exclusiva ao Jornal da Manhã na edição de domingo (1º), o governador Romeu Zema afirmou que o Estado ainda não tem previsão de repasses para o Hospital Regional.

Transição é discutida com o Estado para incluir municípios da região

Depois de embate por causa de acesso ao sistema informatizado de regulação de leitos hospitalares, o prefeito Paulo Piau (MDB) e o secretário municipal de Saúde, Iraci Neto, estiveram ontem com representantes da Superintendência Regional de Saúde para tratar do assunto.

No encontro foram iniciadas as tratativas para a transição do sistema do SUSFácil, que o município atuava como cogestor ao lado do Estado, para o SisReg, disponibilizado pelo Ministério da Saúde. O titular da Saúde explica que o município vai migrar para aprimorar a operacionalização de transferência de pacientes das UPAs (Unidades de Pronto-Atendimento).

Já o prefeito enfatizou que Uberaba vai caminhar na direção de fazer a sua própria regulação de leitos, mas não deixará de atender aos 26 municípios da região. “Vamos construir agora o passo a passo, nessa nova regulação, mas terá uma Central de Regulação aqui, sendo feita pelo município de Uberaba e compartilhamento do governo do Estado porque os outros 26 municípios têm que estar integrados a nossa regulação”, ressaltou.

A situação do Hospital Regional também foi abordada na reunião. Segundo o chefe do Executivo, a Prefeitura vai buscar construir ação junto ao Ministério Público para cobrança aos municípios que não contribuem com a manutenção. “Não é justo um município que ajuda o Hospital Regional ter o mesmo direito de ter leitos de outro que não ajuda a manutenção”, destaca. “No caso de escassez vagas, a preferência será ao município que contribui com um real por cada habitante dos municípios”, completa.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia