JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 25 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Sinpro-MG critica suspensão do pagamento integral dos salários dos professores após decisão do TRT

A decisão do TRT-MG permite a redução de salário e jornada de trabalho dos profissionais

21/05/2020 - 16:02:21. - Por Daniela Brito Última atualização: 21/05/2020 - 16:06:33.

Foto/Divulgação 


As teleaulas estão sendo adotadas nas escolas mineiras, inclusive nas públicas

Tribunal Regional do Trabalho de Minas Gerais (TRT-MG) suspendeu a liminar que garantia o pagamento integral dos salários dos professores e auxiliares da rede particular de ensino durante o período de aulas remotas. A decisão, proferida pela desembargadora Ana Maria Amorim Rebouças, corregedora do TRT-MG, permite, inclusive, acordo para redução de salário e jornada de trabalho destes profissionais, com base na Medida Provisória 936.

O Sindicato dos Professores de Minas Gerais (Sinpro – MG) critica a suspensão da liminar com a possibilidade de redução salarial e da jornada de trabalho. Segundo o diretor em Uberaba, Marcos Gennari, os profissionais estão cumprindo jornadas extenuantes em meio à pandemia, por terem que se adaptar ao ensino remoto. “Não estamos de férias nem de quarentena. Estamos com um trabalho muito maior e seguindo rigorosamente os horários escolares, em sua integridade”, diz.

Para a próxima terça-feira (26) está marcada audiência de conciliação com a participação dos sindicatos que representam as instituições de ensino e os trabalhadores da categoria. “Estaremos presentes nesta audiência”, assegura o dirigente. Para ele, haverá consenso para que não ocorra a redução dos salários tendo em vista que não houve diminuição das mensalidades. “Os valores estão sendo cobradas normalmente. Não houve redução.”

O dirigente também destaca que, em relação às auxiliares em educação, o Sinpro-MG vem intermediando acordo para antecipação de férias, para minimizar os efeitos da crise causados pela pandemia do novo coronavírus.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia