JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 04 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Como está sua exposição ao sol? Pesquisa relaciona baixos níveis de vitamina D à compulsão alimentar

14/07/2020 - 00:00:00.

Já parou para pensar em como está a sua alimentação e também exposição ao sol? A vitamina D é produzida pela pele em resposta à exposição solar. Também existem alimentos ricos em vitamina D, como peixes gordurosos (salmão), ovos e laticínios.

Um estudo publicado no European Eating Disorders Review revelou a relação entre os níveis baixos da vitamina com os comportamentos impulsivos de pacientes com transtorno alimentar.

A médica nutróloga Marcella Garcez, diretora e professora da Associação Brasileira de Nutrologia explicou em entrevista para o Hoje em Dia que: “há evidências crescentes de que os níveis de vitamina D têm um papel não apenas na saúde óssea e no metabolismo energético, mas também no apoio ao sistema nervoso e às funções cerebrais, incluindo a impulsividade”.

Níveis de vitamina D têm papel no apoio ao sistema nervoso e às funções cerebrais, incluindo a impulsividade. Os comportamentos impulsivos são considerados características de grande relevância em pacientes com "Distúrbios Alimentares".

Continua depois da publicidade

O estudo observa relação entre baixa vitamina D e comportamentos de impulso em pacientes com transtorno alimentar. Foram analisados 236 pacientes com diagnóstico de "Distúrbios Alimentares", recrutados entre 2014 e 2018. Os pacientes impulsivos apresentaram níveis estatisticamente mais baixos de vitamina D do que os não impulsivos

Entre os muitos benefícios da vitamina D estão: tem fundamental importância para o equilíbrio de diferentes órgãos; é essencial para a saúde dos ossos e do coração, além do sistema imunológico; controla mais de 3.000 genes e tem mais de 80 funções no organismo

Há casos onde a suplementação oral é necessária, porém deve ser recomendada por um médico pois, em excesso, pode gerar efeitos tóxicos (até insuficiência renal nos casos graves).


 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia