JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 29 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Pneumologista critica definição de "gripezinha" dada por Bolsonaro ao Covid-19

O isolamento deve ocorrer não apenas para que testar positivo para o coronavírus, mas para quem apresenta sintomas gripais em geral e para quem teve contato com pessoas que contraíram o vírus

25/03/2020 - 16:19:54. - Por Daniela Brito Última atualização: 25/03/2020 - 16:51:22.

Foto/Adriano Machado/Reuters

Declaração do presidente Jair Bolsonaro foi classificada como “lamentável” pela médica pneumologista

Médica pneumologista Maria Helena de Castro Silva critica as colocações do presidente Jair Bolsonaro de que o Covid-19 seja apenas uma “gripezinha”. De acordo com ela, a declaração é “lamentável” e vai na contramão do mundo. “Esta pandemia é algo sério, que requer medidas corretas de prevenção para evitar o contágio. É um problema de saúde pública”, diz.

Ela reforça a necessidade de isolamento das pessoas com suspeitas da doença e, até para aqueles que estão com sintomas da gripe, visto que não é possível distinguir entre as duas enfermidades. “Todos os quadros gripais devem ser isolados, pois depois da disseminação comunitária, será difícil distinguir as doenças” informa.

A profissional também esclarece que em pessoas saudáveis, que possuem uma imunidade maior, a doença também atua, mas com intensidade mais leve no organismo. “Este quadro clínico ocorre em cerca de 80% dos pacientes”, diz.

Contudo, para aqueles pacientes crônicos e idosos, que possuem imunidade mais vulnerável, os sintomas podem se agravar, evoluindo para infecção pulmonar e comprometimento respiratório grave.

Em relação a fumantes, a médica diz que não há estudos clínicos sobre os riscos maiores, mas confirma que estas pessoas já possuem pulmão com alguns comprometimentos.

No caso de Uberaba, Maria Helena diz que os três casos confirmados para Covid-19 evoluem de forma positiva. As pessoas cumprem isolamento domiciliar, assim como toda a família, para evitar a transmissão. No caso da moça de 23 anos, toda a família, conforme a médica, não testou positivo para a doença.
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia