JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 25 de janeiro de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

SAÚDE

Continua depois da publicidade



Prematuridade é a maior causa de mortalidade infantil até os 5 anos

É considerado prematuro o bebê que nasce antes das 37 semanas de gestação

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

09/12/2018 - 00:00:00.

Foto/Divulgação

O que Napoleão Bonaparte, Charles Darwin, Pablo Picasso, Albert Einstein e Isaac Newton têm em comum? Esses conhecidos nomes da história da humanidade nasceram prematuros ou pré-termo. A prematuridade é assunto de uma programação especial da Fundação Hospitalar do Estado de Minas Gerais (Fhemig), neste Novembro Roxo, mês dedicado ao tema.

É considerado prematuro o bebê que nasce antes das 37 semanas de gestação – sendo prematuro moderado ou tardio o bebê nascido entre 31 e 36 semanas e seis dias e prematuro extremo o que nasce entre 24 e 30 semanas de idade gestacional.

Segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), no Brasil, por ano, nascem quase 300 mil prematuros, número que coloca o país na 10º posição no ranking mundial de prematuridade, que é a maior causa de mortalidade infantil até os cinco anos de idade em todo o mundo.

No Brasil, a cada 30 segundos, morre um bebê ou uma criança por complicações relacionadas ao parto prematuro.

A neonatologista e coordenadora da Unidade de Tratamento Intermediário (Utin) da Maternidade Odete Valadares (MOV), da rede Fhemig, Silra Borges, explica que a prematuridade constitui um maior risco para adoecimento, tanto na vida neonatal quanto na infância e vida adulta.

“Os prejuízos que a prematuridade traz extrapolam as questões cognitivas e comportamentais. É, de fato, um problema de saúde pública. Entre os prematuros, temos 59% de casos de prematuridade espontânea – os casos que não conseguimos prevenir. E o restante (41%) é de prematuros provocados”, diz Silra.

Segundo a neonatologista, entre os principais desafios estão os de identificar a sobrevida do bebê, minimizar as complicações de curto prazo e evitar as complicações de longo prazo, para permitir que recém-nascido e família tenham uma boa qualidade de vida. 


Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia