JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 15 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Iraci Neto faz pente-fino e acha mais materiais em outros alçapões

De acordo com Iraci Neto, assim que mais caixas foram localizadas em outros alçapões do Centro, foi lavrado um Reds e a perícia da Polícia Civil foi chamada

17/09/2019 - 07:28:30. - Por Thassiana Macedo Última atualização: 17/09/2019 - 17:44:54.

Jairo Chagas


Secretário municipal de Saúde vistoriou outros alçapões localizados nas dependências do departamente e encontrou dezenas de caixas com insumos vencidos; foram contabilizadas 92.050 seringas e 105 mil agulhas, entre outros materiais

Secretário municipal de Saúde, Iraci de Souza Neto decidiu vistoriar todos os outros alçapões localizados nas dependências do Centro de Zoonoses e teve a surpresa de encontrar dezenas de caixas com insumos vencidos, além de baús de motos e capacetes, e até mesmo galões de formol, substância altamente inflamável. Medida ocorreu após denúncia de estocagem irregular de material vencido, acompanhado pelo vereador Thiago Mariscal (MDB), deputado federal André Janones (Avante) e o deputado estadual Cleitinho Azevedo (Cidadania). 

Leia Mais: Saúde apura denúncia de estocagem de medicamentos e seringas vencidos na Zoonoses

De acordo com Iraci Neto, assim que mais caixas foram localizadas em outros alçapões do Centro, foi lavrado um Reds e a perícia da Polícia Civil foi chamada para apurar o caso. “Quando íamos ser surpreendidos no ano de 2019, por uma situação dessa, diante da dificuldade financeira que os municípios sofrem? São mais de 50 mil frascos de coleta de sangue, quase 100 mil seringas e agulhas, e alguns medicamentos já vencidos, com o número das notas fiscais nas caixas”, questiona.

O secretário ressalta que equipe administrativa da pasta foi deslocada para o local a fim de fazer a contagem e conferência do registro dos materiais encontrados, que norteará a instauração de uma sindicância administrativa. Entre as caixas estão materiais com datas entre 2003 e 2013, que poderiam ter sido usados para atender várias necessidades. “E com certeza vamos achar os responsáveis, seja quem comprou e não usou, e principalmente quem escondeu isso dentro do Zoonoses por tanto tempo”, avalia.

Dos materiais encontrados, já foi possível contabilizar 92.050 seringas; 105 mil agulhas; 1.850 escalpes; 1.050 comprimidos de Quifitrim; nove frascos de Lidocaína; 60 frascos de Penicilina; 360 fios de sutura e 150 equipo macro.

Robert Boaventura, diretor de Vigilância em Saúde, destaca ainda que os tubos de coleta de sangue poderiam ter sido destinados aos exames de sorologia para dengue, por exemplo. “Durante 2019, devemos ter gastado cerca de seis mil tubos e fizemos de 10 a 15 mil hemogramas. Em um período que não tenha epidemia, gastaríamos esse estoque em três ou quatro anos. Em ano de epidemia, usaríamos quase a metade desse volume”, frisa. 

Iraci Neto afirma ainda que os promotores de Defesa da Saúde e do Meio Ambiente já foram comunicados para que o caso seja acompanhado. Além disso, a partir de hoje, uma equipe será formada para continuar a busca nas mais de 30 unidades de saúde do município.

 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia