JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 21 de outubro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Presidente da Aciu: número de demissões pode triplicar se comércio permanecer fechado até dia 30

Anderson Cadima não descarta a possibilidade de recorrer da decisão juntamente com a CDL

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

13/04/2020 - 09:56:11. - Por Daniela Brito

Foto/Arquivo


Segundo Anderson Cadima, o empresariado está há três semanas sem faturamento e, permanecendo esta situação, aumentam as possibilidades de demissão em massa

Presidente da Aciu (Associação Comercial e Industrial de Uberaba), Anderson Cadima, em entrevista nesta segunda-feira (13) ao programa Pingo do J, na Rádio JM 95,5 FM, afirmou que decisão que derrubou a reabertura do comércio vai aumentar o número de desemprego.

De acordo com ele, o empresariado está há três semanas sem faturamento e, permanecendo esta situação, aumentam as possibilidades de demissão em massa visto que o decreto em vigência mantém o comércio fechado até o dia 30 de abril. A situação, que já vinha ocorrendo, conforme o dirigente, pode até triplicar ao longo dos próximos dias.

Pandemia de Covid-19 vai deixar muitos falidos e desempregados, diz presidente da Aciu

O presidente da Aciu destaca que o novo decreto permitia o funcionamento de vários estabelecimentos que, atualmente, atuam clandestinamente, com trabalhadores entrando pela porta de trás. Para ele, com a nova regulamentação, as portas estariam abertas, com regras punitivas e fiscalização efetiva.  

Presidente da Aciu considera positivo o funcionamento de parte do comércio

Anderson Cadima diz que a decisão judicial, proferida no final da tarde de domingo (11) foi um “balde de água fria”, pois pegou toda a classe empresarial de surpresa. “Muitos empresários investiram em mídia para seguir as regras rígidas previstas no decreto para esta abertura, realizando ainda reformas nos estabelecimentos e até convocando funcionários que estavam de férias”, diz.

Ele evita entrar nas questões técnicas que embasaram a liminar judicial, como se houve falha por parte do município em não prestar as devidas informações devidas no prazo estipulado pelo Ministério Público Federal. E mais: Anderson Cadima não descarta a possibilidade de recorrer da decisão, em nome da Aciu, em conjunto com a Câmara de Dirigente Lojistas. “Não podemos permanecer inertes”, afirma.  

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia