JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 07 de julho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

GERAL

Anonymous expõe morte de Lady Diana e denuncia que princesa tenha sido assassinada

Segundo a rede de hackers, a princesa teria sido assassinada por ter descoberto sobre um estupro no palácio real

01/06/2020 - 16:23:32. Última atualização: 01/06/2020 - 16:30:26.

Foto/Reprodução

A rede Anonymous está chamando atenção nos Estados Unidos e no mundo com acusações bombásticas. Após protestos em Minneapolis pela morte de George Floyd, causada por um policial, o grupo de hackers Anonymous inflamaram ainda mais os protestos. Além de apontar para o presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, como parte da rede de amigos de Jeffrey Epstein, eles também se referiram à morte de Lady Di. Jeffrey Edward Epstein foi um financiador americano e condenado por abuso sexual.

Anonymous afirmou que a princesa Diana sabia de casos de estupro que teriam acontecido no palácio real, envolvendo pessoas próximas ao príncipe Charles. Segundo a conta: "A princesa Diana gravou um depoimento de uma vítima de estupro da equipe do príncipe Charles".

A rede ainda acusou que, na época da morte, Diana estava visitando hospitais e casas de repouso e que consolava vítimas da Elm Guest House. Anonymus ainda apontou que Di havia registrado depoimentos de uma vítima de estupro no palácio e que por isso teria sido assassinada.

A publicação onde surgiu a acusação de assassinato foi apagada. Ainda assim, muitos internautas copiaram as informações antes delas desaparecerem da página dos Anonymous. Nas redes sociais, internautas dividiram opiniões. Muitos acreditam nos documentos, mas outros questionam a veracidade da publicação da rede. Essa não é primeira vez que surgem suspeitas de que a tragédia que vitimou Diana pode não ter sido um acidente.

A morte de Lady Di
A princesa Diana morreu em um acidente de carro em 1997, no túnel do Ponche de l'Alma, em Paris, França. A morte de lady Di chocou o mundo e causou grande comoção. Uma testemunha do acidente, o advogado Stanlee Culbreath, deu uma entrevista para o jornal The Mirror e disse que as chances de Diana sobreviver foram reduzidas porque os serviços de emergência demoraram muito tempo para chegar.

Ele disse que a polícia no local não fez nada para salvar a vida de Diana, que a ajuda veio 30 minutos após o acidente e que os policiais agiram como se não estivessem interessados. "Se essa é a princesa, por que demorou 20 minutos para chegar até ela e quando eles finalmente a soltaram (do carro), por que eles passaram por um hospital e a levaram para outro?".

O vídeo
Em 2002, o jornal The Guardian publicou uma matéria sobre o suposto vídeo gravado por Lady Di. O texto relata que a fita teria sido assistida pela irmã de Diana, Lady McCorquodale, mas que o material teria sido roubado logo após.

Na reportagem do The Guardian é pontuado que na época um relatório sobre o assunto foi enviado ao Ministério Público, que determinou que "não havia provas suficientes para prosseguir nesta fase". Mas que a polícia acredita que a fita é uma "dinamite potencial" e que, se alguma vez surgir, poderá causar grandes constrangimentos à família real.

*Com informações O Tempo e The Guardian
 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia