JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 28 de março de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

União investiu R$ 2,9 bilhões de 2014 a 2016 em Uberaba pela CEF

Superintendente regional da Caixa Federal garantiu liberação de recursos para projetos e obras em andamento na cidade

- Por Gisele Barcelos Última atualização: 04/11/2016 - 08:31:59.

Foto/Sebastião Santos 

 

Equipe da Prefeitura esteve ontem em Uberlândia, com o prefeito Paulo Piau, em reunião na Superintendência da CEF

Recursos federais estão garantidos para os projetos e obras que já estão em andamento na cidade. A informação é do superintendente regional da Caixa Econômica Federal, Paulo Antunes Siqueira, que ontem recebeu comitiva liderada pelo prefeito Paulo Piau (PMDB) em Uberlândia.

Siqueira destacou que a Caixa desembolsou R$2.943.727.285,53 para Uberaba no período de 2014 a 2016, incluindo obras do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) e projetos subsidiados com recursos diretos do orçamento da União. De acordo com o superintendente, 26 obras do PAC estão em execução na cidade, somando um investimento de R$312.761.048,47, com contrapartida de R$46.497.044,81 do município.

O representante da Caixa no Triângulo Mineiro também ressaltou que o município tem ainda R$168 milhões em recursos garantidos do PAC para concluir os projetos em execução. “Fazer um balanço como este no dia de hoje significa fortalecer essa parceria, acelerar a construção e andamento das obras e, por consequência, liberar mais recursos na economia da cidade”, disse.

Já o prefeito avalia que é importante o cruzamento das informações para agilizar a liberação da verba federal restante. “Viemos nivelar as informações sobre o que precisa acelerar, o que está pronto e o que está faltando, apenas a prestação de contas para os ministérios. Esse processo é necessário, faltando dois meses para finalizar o ano”, pondera.

Habitação.
Ainda na reunião, o superintendente regional da Caixa Econômica orientou à administração municipal a incentivar os empreendimentos da faixa um e meio e da faixa dois no programa Minha Casa Minha Vida. Siqueira adiantou que os projetos da faixa um “não devem acontecer com a mesma expressividade” a partir de 2017. O superintendente avaliou que o mercado está favorável para o público com até dois salários mínimos. Por isso, o município deve encontrar formas de incentivar as construtoras para investir no segmento. Siqueira reforçou que haverá aporte R$72 bilhões em 2017 para aplicação em empreendimentos destinados ao público enquadrado na faixa dois e os projetos que chegarem primeiro terão mais chances de ser beneficiados.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia