JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 05 de agosto de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Zema solicita a prorrogação do estado de calamidade pública à Assembleia

10/07/2020 - 00:00:00. - Por Gisele Barcelos

Governo de Minas solicita à Assembleia Legislativa de Minas Gerais (ALMG) prorrogação do estado de calamidade pública até 31 de dezembro devido à pandemia de coronavírus. O pedido foi entregue na quarta-feira (8) e deverá ser colocado em pauta para votação já na próxima semana.

Os deputados já haviam aprovado a resolução que reconhecia o estado de calamidade, mas o texto previa que até o dia 20 de julho a situação seria revista pela Assembleia e o governador Romeu Zema (Novo) deveria enviar mensagem justificando a necessidade de manutenção da medida até 31 de dezembro.

O pedido de prorrogação foi feito ao parlamento por videoconferência, juntamente com a entrega do primeiro relatório trimestral detalhado de evolução da receita e da despesa do Estado durante a pandemia, e também das ações sanitárias realizadas no período de 25 de março a 25 de junho. A apresentação do levantamento era uma das exigências do decreto de calamidade pública.

Continua depois da publicidade

O documento, de mais de 200 páginas, destaca números da saúde e da economia durante a pandemia. Segundo o relatório, entre março e julho, Minas Gerais aumentou em 1,3 mil leitos as vagas de UTI e adquiriu 1.047 respiradores, além de reparar 400 aparelhos que não estavam funcionando nos hospitais públicos.

Com relação ao contexto financeiro, o documento traz números sobre o comportamento do caixa do governo do Estado nos três primeiros meses da pandemia. O balanço aponta que a maior queda de arrecadação no período foi em abril e a economia agora começa a apresentar sinais de recuperação.

Apesar do quadro relativamente favorável nas áreas de saúde e economia, Zema reforçou na videoconferência que o momento ainda é de atenção. Ele lembrou que o pico da curva de contaminação de Covid-19 em Minas Gerais está previsto para a próxima semana e, só então, as taxas de contaminação deverão se estabilizar para, depois, caírem. Por isso, ele ressaltou a importância de estender o prazo do estado de calamidade. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia