JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 18 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Presidente da Codiub diz que Cidade Vigiada tem foco na criminalidade

Prefeito declarou que poderá usar sistema para fiscalização no trânsito, mas, segundo a Codiub, não há como alterar localização de equipamentos

12/09/2019 - 00:00:00. - Por Tulio Micheli

Após afirmação do prefeito Paulo Piau de que a tecnologia do programa Cidade Vigiada deverá ser usada para identificar avanço de sinal, conversão em locais inapropriados e excesso de velocidade em algumas vias da cidade, a reportagem conversou com o jornalista Denis Silva, presidente da Codiub, que confirmou que os locais de instalação das câmeras do projeto não serão alterados. 

O prefeito Paulo Piau descartou o retorno da fiscalização eletrônica de trânsito tradicional, com o uso de radares, conhecidos por pardais. Porém, o projeto Cidade Vigiada terá os equipamentos instalados nas chamadas zonas quentes de criminalidade, uma vez que as câmeras utilizam software que realiza leitura de caracteres, além de ter um Centro de Monitoramento e Controle, desenvolvido pela Companhia de Desenvolvimento de Informática de Uberaba (Codiub).

Uberaba está há mais de dois anos sem fiscalização eletrônica de trânsito. Havia previsão de que o monitoramento seria reativado no primeiro semestre de 2019, mas o cronograma foi adiado para dar prioridade à implantação do programa Cidade Vigiada, que deve ter as primeiras câmeras instaladas a partir do próximo mês, processo que será encerrado antes do Natal, segundo o presidente da Codiub. “A nossa primeira necessidade com o Cidade Vigiada é dentro da segurança pública. Vamos instalar os equipamentos conforme o cronograma já finalizado, e não temos condições de alterar estes pontos de instalação neste momento, uma vez que criamos um cinturão de segurança”, explicou Denis. 

A reportagem tentou contato com o prefeito Paulo Piau, porém, o mesmo cumpria agenda em Brasília. A assessoria de comunicação da Prefeitura optou por aguardar o retorno do chefe do Executivo para se posicionar sobre o assunto.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia