JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Zema volta a falar da privatização da Cemig e diz ter esquecido motivo da existência da Companhia

O governador também diz que quer deixar um legado de transparência em relação as contas públicas

14/08/2019 - 09:14:42. Última atualização: 14/08/2019 - 18:29:05.

Gil Leonardi/Imprensa MG

O governador de Minas Gerais, Romeu Zema (Novo), criticou a Companhia Energética de Minas Gerais (Cemig) durante a 20ª Conferência Anual Santander. Zema ironizou ter esquecido do motivo da existência da Companhia e voltou a bater na tecla da privatização.

Zema disse que a Cemig dobrou o seu valor de mercado, de R$ 10 bilhões para R$ 20 bilhões, só pela notícia de que ele seria o vencedor da eleição para o governo de Minas. No entanto, segundo ele, a Cemig está criando obstáculo para, entre outras coisas, ligar em suas redes a energia solar fotovoltaica produzida no estado.

Para Zema a dificuldade imposta pela empresa não é aceitável já que Minas tem se tornado um dos principais polos do país em produção de energia fotovoltaica. “Minas, que sempre foi a caixa d'água do Brasil, será agora um grande polo de geração de energia fotovoltaica do país”, disse, ressaltando que a Cemig se esqueceu do motivo de sua existência.

O governador afirmou ainda que o maior legado que pretende deixar para o povo mineiro será a reforma das leis de forma a impedir que seus sucessores façam o que seus antecessores fizeram. Zema disse que o governo anterior escondia a situação das contas públicas de Minas Gerais ao dizer que as dívidas do Estado estavam dentro dos 60% das receitas permitidos por lei quando na verdade estavam em 80%.

*Com informações do Estadão

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia