JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍTICA

Baixas no 1º escalão de Minas podem tirar mandato de Tony

Tony Carlos exerce mandato parlamentar por ser suplente do atual secretário de Saúde, que poderá deixar o cargo para disputar as eleições e reassumir a Assembleia

- Por Gisele Barcelos Última atualização: 30/01/2018 - 07:13:23.

Foto/Reprodução

    
Tony Carlos exerce mandato parlamentar por ser suplente do atual secretário de Saúde, que poderá deixar o cargo para disputar as eleições e reassumir a Assembleia 

Eleições vão provocar baixas no primeiro escalão do governo mineiro. Pelo menos, seis secretários devem ser exonerados no dia 31 de janeiro para concorrer a cargos no Legislativo. A situação pode levar Uberaba a perder representante na Assembleia.

Um dos nomes que devem deixar o secretariado é Sávio de Souza Cruz (MDB), que estava licenciado do mandato de deputado estadual para comandar a pasta da Saúde. Se confirmado o retorno de Cruz à cadeira na ALMG, o uberabense Tony Carlos (MDB) deixará a Casa Legislativa e voltará à condição de suplente.

A reportagem do Jornal da Manhã tentou contato com Tony Carlos para falar sobre a movimentação de bastidores e a possível saída da Assembleia, mas não obteve retorno até o fechamento desta edição.

O calendário eleitoral prevê prazo até abril para a desincompatibilização dos futuros candidatos. No entanto, o governador Fernando Pimentel (PT) teria resolvido antecipar a saída para exigir dedicação integral dos substitutos. Seis titulares de pastas do primeiro escalão e dois dirigentes de estatais devem deixar os cargos e ser substituídos pelos secretários-adjuntos já nesta quarta-feira (31).

Além de Souza Cruz, devem ser exonerados a secretária de Educação, Macaé Evaristo (PT), que tentará pela primeira vez disputar o cargo de deputada estadual, e o titular da pasta de Turismo, Ricardo Faria (PCdoB), que retorna à Assembleia para disputar reeleição.

Os titulares de Desenvolvimento Agrário, professor Neivaldo (PT), e do Desenvolvimento Integrado e dos Fóruns Regionais, Wadson Ribeiro (PCdoB), também saem para disputar uma vaga de deputado estadual. Já Nilmário Miranda (PT) deixará a pasta de Direitos Humanos, Participação Social e Cidadania para se candidatar a deputado federal, cargo que ele já ocupou quatro vezes e do qual é suplente.

Também licenciados do mandato parlamentar para compor o secretariado de Pimentel, Odair Cunha (PT) e Miguel Corrêa não devem sair, por enquanto, e até já anunciaram publicamente não ter a intenção de disputar cargos eletivos este ano. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia