JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 25 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Mãe flagra missionário estuprando a filha dela dentro de igreja

Em nota, a igreja situada em Itanhaém, em São Paulo, disse que lamenta profundamente o ocorrido

12/02/2020 - 00:00:00.

Uma criança de quatro anos foi abusada sexualmente dentro de uma unidade da igreja em Itanhaém, no litoral de São Paulo. Foi a mãe da criança que flagrou o ato e denunciou o suspeito, um peruano, de 31 anos, missionário da Igreja Adventista do Sétimo Dia.

A vítima foi encaminhada para exame de corpo de delito e o homem foi preso em flagrante por estupro de vulnerável. A Embaixada Peruana no Brasil foi comunicada do ocorrido.

Segundo a Polícia Civil, a mãe levou a menina para igreja e, enquanto participava de uma reunião, a criança foi até a Sala Primária, onde são oferecidas aulas infantis, para pegar um brinquedo. Na sala, estava o missionário que era abrigado pela unidade e, quando a menina entrou, de acordo com o registro da ocorrência, o suspeito pegou a mão da criança, colocou em seu órgão genital e começou a movimentar.

A ação foi flagrada pela mãe da menina que, ao notar a ausência da filha, foi até a sala procurá-la. Em depoimento à polícia, a mãe disse que, quando entrou no local, o missionário estava de costas, mas percebeu que ele guardou algo dentro das calças quando ouviu a porta abrir.

Já longe do suspeito, a mãe perguntou para a menina o que tinha acontecido, e a criança confirmou o abuso. Lideranças da igreja foram acionadas e, quando questionado, o peruano confessou o crime. A Polícia Militar foi até o local e o suspeito foi encaminhado à Delegacia Seccional de Itanhaém.

Às autoridades policiais, durante o interrogatório, o peruano confessou que colocou a mão da criança em seu órgão sexual e falou 'besteiras' para a menina com conotações sexuais.

Posicionamento da igreja

Em nota, a Igreja Adventista do Sétimo Dia disse que lamenta profundamente o ocorrido em uma de suas congregações na cidade de Itanhaém. A pessoa acusada do crime estava abrigada no templo há poucos dias enquanto participava de um projeto no município.

A Igreja Adventista do Sétimo Dia disse que oferece o apoio necessário para a mãe e a vítima. A instituição repudia qualquer tipo de violência. E, inclusive, promove regularmente ações de conscientização contra o abuso infantil.

*Com informações G1 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia