JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de janeiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Condenados os dois acusados de matar e ocultar corpo na BR-050

Ambos respondiam a processo por homicídio qualificado de Paulo Ricardo da Silva, ocorrido em 9 de janeiro de 2016, e por associação criminosa

12/12/2019 - 00:00:00. - Por Thassiana Macedo

Novo julgamento popular reverteu os resultados da sessão do Tribunal do Júri realizado em agosto de 2017. Desta vez os jurados mantiveram a condenação de Vitor Hugo do Nascimento da Silva por homicídio privilegiado, mas o absolveram do crime de associação criminosa. Por outro lado, Thiago Balduíno da Cunha foi condenado a 16 anos e dois meses por homicídio qualificado e absolvido do delito de associação criminosa, para o qual havia pegado um ano em regime aberto. 

Os dois respondiam a processo por homicídio qualificado de Paulo Ricardo da Silva, ocorrido em 9 de janeiro de 2016, e por associação criminosa. No primeiro julgamento, Vitor Hugo foi condenado a 11 anos por homicídio privilegiado e associação criminosa. Já Thiago Balduíno foi condenado à pena de um ano em regime aberto, que foi substituída por prestação pecuniária, apenas por associação criminosa.

Segundo o advogado Carlos Leonardo de Assis Silva Ferreira, ao analisar as teses da defesa, os jurados entenderam por manter a condenação de Vitor Hugo por homicídio privilegiado, mas em absolvê-lo do crime de associação criminosa. Com esse resultado, a pena do réu deveria ser menor, mas não foi o que ocorreu. Por isso, o advogado já entrou com embargos de declaração para que seja revista a dosimetria da pena, constando a absolvição.

Já Thiago Balduíno acabou sendo condenado à pena de 16 anos e dois meses de prisão, em regime inicialmente fechado, por homicídio qualificado, e foi absolvido do delito de associação criminosa. O advogado informou que também vai recorrer junto ao Tribunal de Justiça de Minas Gerais (TJMG) para pedir um novo julgamento, por divergência nos quesitos apresentados aos jurados, para absolvição do réu, por condenação contrária às provas nos autos e, alternativamente, redução da pena. 

Conforme denúncia, o crime ocorreu depois que quatro homens encapuzados invadiram a casa de Vitor Hugo atirando, para disputar o ponto de drogas. Na ação, um homem morreu, outro foi atingido de raspão e dois adolescentes ficaram feridos em incêndio. Ao descobrir a identidade dos envolvidos, Vitor Hugo teria armado uma emboscada para se vingar. Com a ajuda de Thiago, ele teria atraído Paulo Ricardo para uma festa e depois lhe oferecido carona. No trajeto, a vítima foi levada até a BR-050, entre o bairro Alfredo Freire e o rio Uberaba, onde foi morta a pauladas e enterrada em cova rasa.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia