JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

POLÍCIA

Traficante do Santa Marta recebe pena de mais de cinco anos de prisão

Juiz da 2ª Vara Criminal, Fabiano Garcia Veronez, condenou Robson de Souza Silva à pena de cinco anos e seis meses de reclusão

19/11/2019 - 00:00:00. - Por Thassiana Macedo

Juiz da 2ª Vara Criminal, Fabiano Garcia Veronez, condenou Robson de Souza Silva à pena de cinco anos e seis meses de reclusão, em regime inicialmente fechado, por portar 0,95g de crack. Ele respondia a processo criminal após denúncia do Ministério Público por tráfico de drogas. 

De acordo com a denúncia do MP, Robson de Souza Silva teria sido abordado pela Polícia Militar no dia 29 de novembro de 2017, por volta de 8h30, na rua Macapá, bairro Santa Marta. O fato é que os militares receberam uma ligação anônima de que um homem estaria constantemente traficando drogas naquele local. Por meio desse contato, a PM foi informada de que um gol vermelho havia passado pelo local entregando a droga para Robson.

Ao se deslocarem para a rua informada pela testemunha, a polícia chegou no momento em que uma mulher havia acabado de chegar para comprar drogas com o réu. Os militares conseguiram visualizar Robson repassando a droga para a usuária e efetuaram a abordagem em flagrante. Além da droga apreendida na posse do acusado, os militares também localizaram outros papelotes de crack escondidos em uma caixa de Correio de uma casa desocupada próximo de onde Robson traficava. Com o réu também foi apreendida a quantia de R$46 em notas pequenas. 

Neste sentido, o juiz Fabiano Garcia Veronez julgou a ação procedente para condenar Robson de Souza Silva pelo crime de tráfico de drogas. Considerando a prisão em flagrante e a quantidade de drogas encontrada com o réu, o magistrado fixou a pena base em cinco anos de reclusão, mas levando em consideração as circunstâncias agravantes de reincidência, Veronez aumentou a pena corporal em seis meses de prisão. Além disso, o juiz concedeu ao acusado o direito de recorrer em liberdade.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia