JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 23 de setembro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Bloco Maria Boneca vai às ruas de Uberaba com o tradicional desfile de Carnaval

Esta é a 13ª edição do desfile do Bloco Maria Boneca e contará com a participação de usuários e com os vários profissionais que atuam diariamente na instituição

Última atualização: 01/02/2018 - 07:40:40.


A Fundação Gregório F. Baremblitt, o CAPS Maria Boneca, já está organizando todos os detalhes para a edição deste ano do desfile de Carnaval, que será no dia 9 de fevereiro, a partir das 8h30, com saída da frente da Fundação. Esta é a 13ª edição do desfile do Bloco Maria Boneca e contará com a participação de usuários e com os vários profissionais que atuam diariamente na instituição.

A coordenadora da Fundação, Maria de Fátima Oliveira, explica que o Carnaval começou dentro da instituição e, em um dado momento, eles sentiram a necessidade de sair de lá e desfilar a alegria pelas ruas da cidade. "É uma forma de quebrar esse desconhecido acerca da doença mental e, assim, deixar de se ter um estranhamento ao ver", explica Fátima. Ela também explica que todas as oficinas da instituição utilizarão o tema de folia e a maior parte da decoração de Carnaval foi produzida pelos usuários do CAPS, assim como as fantasias e adereços.

O desfile é aberto a toda a comunidade. Qualquer pessoa pode participar e a Fundação fica na rua Capitão Domingos, 418, no bairro Nossa Sra. da Abadia, onde será a concentração.

Trajeto.
O Bloco fará a concentração a partir das 8h30, em frente à Fundação Gregório Beremblitt e descerá em direção à Praça Thomaz Ulhôa, passando pela rua Madre Maria José até a Igreja Santa Rita, seguindo pela rua Alaor Prata até o segundo quarteirão do Calçadão, percorrendo ambos os quarteirões até a Praça Rui Barbosa, onde a folia está garantida até 12h, com o show da Banda Sola Quente.

O CAPS Maria Boneca.
A Fundação Gregório Baremblitt, que abriga o Caps (Centros de Atenção Psicossocial) Maria Boneca, foi fundada em 17 de julho de 1991, por um grupo de terapeutas, psiquiatras, psicólogos e estudantes, que acreditavam em uma reforma no sistema de saúde mental. Hoje, a Fundação trabalha com a reabilitação social e mental através de oficinas de arterapia, esquizodrama, esquizoanálise e até mesmo oficinas de geração de renda, sempre trabalhando com a ideia de reintegração do sujeito à sociedade. O intuito da instituição é oferecer tratamento por meio de uma equipe técnica multidisciplinar. O CAPs atende, em média, de 90 a 140 pessoas/dias acima de 18 anos de idade, de maneira totalmente gratuita.


Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia