JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 11 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Comitê é reativado para regular serviço de hemodiálise no MPHU

Permissão para o hospital realizar hemodiálises pelo SUS foi publicada no Diário Oficial da União de 16 de novembro

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

- Por Geórgia Santos Última atualização: 24/12/2017 - 19:01:12.

Foto/Arquivo


Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU) trabalha para obter a autorização para oferecer o serviço há dois anos

Comitê de Terapia Renal Substitutiva – Hemodiálise é reativado para debater nova formatação de atendimento. A medida foi necessária a partir da autorização emitida pelo Ministério da Saúde, para que Mário Palmério Hospital Universitário (MPHU) realize hemodiálise por meio do Sistema Único de Saúde (SUS). Algumas reuniões já foram realizadas entre os membros do grupo que vão compor a comissão.

A permissão para o MPHU realizar hemodiálise pelo SUS foi publicada no Diário Oficial da União do dia 16 de novembro. O hospital lutou por essa autorização por dois anos, mas, apesar dessa liberação, ainda é preciso acertar algumas questões com a Secretaria Municipal de Saúde e a Superintendência Regional de Saúde para o início das atividades.

“Reativamos o comitê para discutir a nova formatação em virtude do volume de demanda que temos para o serviço em relação ao teto financeiro específico para terapia renal substitutiva. Esse é um trabalho que já está sendo discutido. A formação da comissão já foi publicada no Porta-Voz e, agora, com a escolha dos representantes do hospital, poderemos discutir de forma objetiva uma formatação que atenda com qualidade toda a população”, afirma o secretário de Saúde, Iraci Neto.

Com relação aos recursos disponibilizados para realizar a hemodiálise, cujo serviço também vai atender os municípios da região, o secretário revela que, antes desta ampliação, incluindo o Mário Palmério Hospital Universitário, o teto era de, aproximadamente, R$460 mil por mês e, agora, será acima de R$500 mil. “Além disso, o pagamento do excesso de produção, ou extrapolamento dos atendimentos, é feito pelo Estado. Precisamos contar com esse repasse para liberar essa produção extra, mas esse assunto também será tratado com os prestadores”, afirma.

Contudo, independente da liberação desse recurso extra, o secretário diz que a hemodiálise pode ser realizada no Mário Palmério Hospital Universitário. “A comissão está sendo reativada, com os novos representantes, para que no início de janeiro seja constituída a rede”, completa Iraci Neto.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia