JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 11 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Restituição do Imposto de Renda injeta R$ 9,5 milhões na região

Liberação do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017 deve aquecer a economia local. Nesta semana a Receita Federal liberou a consulta

#JornalDaManhã #QuemLêConfia
• WhatsApp: 34 99777-7900

- Por Geórgia Santos Última atualização: 10/06/2017 - 08:48:16.

Arquivo


Receita Federal prioriza no primeiro lote de restituição os idosos e portadores de deficiência ou de moléstia grave

Liberação do primeiro lote de restituição do Imposto de Renda de Pessoas Físicas 2017 deve aquecer a economia local. Nesta semana a Receita Federal liberou a consulta ao primeiro lote de restituição e o depósito será em 16 de junho. Somente na região de Uberaba serão R$9,5 milhões repassados a mais de cinco mil contribuintes.

Em todo o país, o crédito bancário será feito para 1.636.218 contribuintes, totalizando mais de R$3 bilhões. O lote contempla os contribuintes com prioridade: mais de 1,5 milhão de idosos e 108.513 pessoas com alguma deficiência física, mental ou moléstia grave. Na regional de Uberaba, ao todo, 5.800 contribuintes estão no primeiro lote, somente em Uberaba serão cerca de quatro mil, o equivalente a 70% do previsto para a região.

De acordo com o delegado da Receita Federal em Uberaba, Mauro Luiz de Oliveira, o valor da restituição será creditado na conta bancária indicada pelo contribuinte. Se durante um ano não for resgatado, o valor volta para os cofres da União. “Neste caso, é necessário que o contribuinte entre em contato com a Receita Federal para retornar esse valor para conta. Além disso, sugerimos que, caso o valor não seja creditado, o contribuinte deve procurar pessoalmente qualquer agência do Banco do Brasil ou ligar na Central de Atendimento pelo número 0800-729-0001”, explica Mauro.

Quanto à movimentação econômica com a injeção desse recurso, o economista Sérgio Martins explica que o valor proporciona boa expectativa. “Estamos vivendo um momento ruim e boa parte deste recurso, assim como das contas inativas do FGTS, vai para pagamento de contas, gastos com o comércio, entre outras questões. Mas o grosso desse dinheiro, principalmente daqueles que recebem quantia maior, vai para aplicações financeiras”, afirma.

Siga o JM no Instagram: @_jmonline
e também no Facebook: @jornaldamanhaonline

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia