JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Sindicato alerta que cinco escolas estaduais podem não abrir matrículas em 2020

O SindUTE foi até a capital mineira e, na puta, também pediu para que o 13º salário seja pago integralmente em dezembro; governador aceitou

09/11/2019 - 00:00:00. - Por Raiane Duarte

O Sindicato Único dos Trabalhadores em Educação (SindUte) alertou que cinco escolas poderiam não abrir matrículas para o primeiro ano do Ensino Fundamental, em Uberaba no próximo ano letivo. A questão foi um dos pontos trabalhados na paralisação de educadores realizada na Cidade Administrativa, em Belo Horizonte, no dia 6 de novembro.

A coordenadora regional do SindUte, Maria Helena Gabriel, explica que durante a paralisação houve uma audiência pública que resultou na ampliação do prazo de entrega do plano escolar, que contém as reivindicações. “Conseguimos que o plano escolar fosse aguardado até o dia 11, nesta segunda-feira, para que os diretores se inscrevessem novamente e mandassem suas demandas para o governo de Minas Gerais. Iremos aguardar para saber se o governo vai apoiar ou não”, explicou.

O fechamento das turmas do primeiro ano significa desempregar professores e trabalhadores de outras funções escolares. Além disso, ainda seria necessário deslocar os alunos sem vagas para as escolas municipais.

“O primeiro ano é a porta de entrada para escola, se fecharem essas turmas nós sabemos o quanto será complicado para todos os profissionais da educação. Porque começa fechando o primeiro ano hoje, ano que vem fecham o segundo, no outro não tem mais o terceiro. Nós estamos na luta, emprenhados, não aceitamos de forma alguma o fechamento”, afirma a coordenadora regional do sindicato.

Manifestação em BH

A caravana do SindUte que saiu de Uberaba levou cerca de 16 pessoas para a paralisação que ocorreu na capital mineira. Segundo Maria Helena, a manifestação foi positiva e uma das mais organizadas pelo sindicato este ano. “Nós conseguimos negociar que o governo vai pagar o 13° até dezembro de 2019 integral. Isso tudo é luta e esperamos que o governo não venha ruir a corda, eles falaram que vão pagar, vamos ver será irão cumprir com a palavra e precisam cumprir!”, finaliza Maria Helena. 

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia