JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de setembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Dpvat paga mais de 17 mil indenizações em Minas no primeiro semestre do ano

O número representa 37,93% de todo o volume da região Sudeste e é maior que o total pago para a região Norte, 15.034

17/08/2019 - 00:00:00. - Por Luiz Gustavo Rezende Última atualização: 17/08/2019 - 08:17:57.

Jairo Chagas


Acidentes com moto representaram a maior parcela de indenizações pagas no semestre em Minas Gerais

No primeiro semestre deste ano a seguradora Líder, empresa que administra o seguro Dpvat (Danos Pessoais Causados por Veículos Automotores de Vias Terrestres), pagou 17.093 indenizações no Estado de Minas Gerais. O número representa 37,93% de todo o volume da região Sudeste e é maior que o total pago para a região Norte, 15.034.

O número total de indenizações pagas no Estado ficou dividido da seguinte forma: 1.921 pagamentos para casos com morte, 10.031 para invalidez permanente e 5.141 para pagamento de reembolso de despesas médicas. Os casos de morte foram divididos da seguinte forma: 10.376 pagamentos para motoristas, ou 55%; 5.363 para pedestres, o que representa 28%, e 3.102 para passageiros, perfazendo 17%.

Em nível de Brasil, os estados que mais registraram recebimentos do seguro de modo geral foram São Paulo, com 18.670, seguido de Minas Gerais e Ceará, com 10.695. A motocicleta foi o veículo com o maior número de indenizações nos primeiros seis meses. Apesar de representar apenas 27% da frota nacional, concentrou 77% das indenizações.

Dos benefícios concedidos no período para acidentes com motocicletas, 71% foram para invalidez permanente e 8% para morte. 88% das indenizações por morte em acidentes com motocicletas foram para vítimas do sexo masculino. Para os casos de vítimas com sequelas permanentes, 79% das indenizações por acidentes com motocicletas também foram para vítimas do sexo masculino, enquanto as indenizações por acidentes com os demais veículos, pagas também para os homens, representaram 66%, o que demonstra que a concentração de vítimas do sexo masculino é maior nos acidentes com motocicletas do que com os demais veículos. 

Homens e jovens são os que mais se acidentam e recebem o seguro. Mantendo o mesmo comportamento dos anos anteriores, a maior incidência de indenizações pagas no primeiro semestre de 2019 foi para pessoas do sexo masculino: 75%. A faixa mais atingida foi a de pessoas economicamente ativas de 18 a 34 anos, representando 46% do total de indenizações pagas, o que corresponde a cerca de 72 mil.

Para pessoas de 35 a 44 anos de idade foram 33.444 benefícios concedidos, o que representa 19,7%. Para pessoas de 45 a 64 anos foram 35.678 pagamentos, ou 19,8% do total. O estudo sobre o perfil das vítimas aponta que somente 25% dos casos foram para pessoas do sexo feminino. 

No período analisado, a maioria dos benefícios concedidos foi para motoristas (57%). Estes representaram 55% das indenizações pagas em acidentes fatais e 54% em acidentes com sequelas permanentes, predominando significativamente os motociclistas (89%). Os pedestres ficaram em 2º lugar nas indenizações por acidentes fatais no período (28%), assim como nos acidentes com invalidez permanente (35%). Na cobertura de DAMS, o pedestre e o passageiro representaram 16% e 15%, respectivamente, das indenizações.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia