JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 16 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Superintendência discute calendário escolar com secretários de Educação

A proposta é que os municípios igualem os calendários com o Estado, para atender todos os alunos e economizar dinheiro público

- Por Geórgia Santos Última atualização: 21/01/2018 - 02:46:16.

Arquivo


Marilda Ribeiro explica que proposta visa garantir atendimento de serviços, como transporte escolar

Superintendência Regional de Educação de Uberaba realiza amanhã (22) reunião com secretários municipais de Educação que compõem a regional. O propósito da reunião é tratar do calendário escolar.

Recentemente o governo estadual fez alterações no calendário escolar da Rede Estadual de Ensino para o ano de 2018. O ano escolar terá início no dia 15 de fevereiro, após o feriado de carnaval, com o retorno dos professores às atividades de planejamento pedagógico na escola. O ano letivo terá início no dia 19 de fevereiro, com a volta às aulas, e termina no dia 18 de dezembro.

Assim, diante desta alteração, segundo a superintendente regional de Ensino de Uberaba, Marilda Ribeiro, nesta reunião de segunda-feira será proposto aos secretários o alinhamento do calendário da rede municipal com estadual, a fim de otimizar alguns serviços prestados pelo município ao Estado, por exemplo, o transporte na zona rural. “O Estado repassa ao município uma quantia para realizar esse serviço, se os calendários fossem igualados o transporte de todos os alunos começaria e terminaria no mesmo dia. Se não igualar, o serviço começará a ser realizado apenas aos alunos da rede municipal e depois terá que continuar para alunos do Estado, mesmo com o término das aulas do município”, explica Marilda.

Portanto, a superintendente reforça que a intenção é negociar com os secretários para garantir uma unidade de calendário, para que o município também não tenha que gastar duas vezes. “Espero que os municípios compreendam essa necessidade, para atender os nossos alunos e fazer economia com dinheiro público”, afirma Marilda Ribeiro.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia