JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 10 de julho de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

CIDADE

Imóveis abandonados continuam causando transtornos na cidade

Segundo levantamento do Posturas, Uberaba tem cerca de 80 imóveis em situação de abandono; proprietários já receberam 120 autuações

- Por Sarah Parro Última atualização: 09/02/2017 - 15:16:49.

Os números de lotes abandonados ou vagos em Uberaba se tornaram um sério problema para a população. Em levantamento do Departamento de Posturas, feito ao longo de 2016, constam 80 imóveis em situação de abandono, falta de passeio e limpeza. Neste período foram registradas 120 autuações, e destas, 50% são reincidentes.

Na maioria das vezes estes imóveis são ocupados por usuários de drogas e andarilhos. Condição que preocupa Carmem Borges, funcionária de uma clínica na rua Afonso Rato, onde, há quatro anos, existe uma casa desocupada. “Recentemente, além da clínica, várias propriedades ao redor foram furtadas. Há quatro anos funcionava uma escola neste imóvel, hoje ele está totalmente abandonado e tomado por usuários de drogas, além da sujeira e da água parada dentro de uma piscina que há no local”, desabafa.

Renê Inácio, chefe do Departamento de Posturas, admite que os edifícios em situação de abandono hoje representam um problema que traz diversos transtornos à comunidade, e chama a atenção dos proprietários. “A multa para o proprietário de uma casa abandonada é três vezes maior do que a multa por falta de limpeza, ou seja, a multa é pesada e ainda pode vir em dobro em caso de reincidência”, relata.

O chefe do departamento esclarece que um imóvel pode ser autuado até três vezes e, não havendo providências por parte do proprietário, pode ser demolido. “A legislação prevê, e já existem cinco processos em andamento, que quando a infração não é sanada, o imóvel passa pela vistoria da Vigilância Sanitária e da Defesa Civil; constatando-se as irregularidades, mediante laudos e autuações, o imóvel é demolido pela Prefeitura”, afirma Inácio. O proprietário do imóvel citado pela funcionária já foi autuado em novembro do ano passado e, segundo o departamento, um fiscal irá novamente ao local para avaliar as condições.

A população pode ajudar na fiscalização, informando ao Departamento de Posturas pelo telefone 3331-2312 ou 3318-0800 (Fala Cidadão).

 

Prédio onde funcionou a Caixa, no centro, oferece risco pelo descuido


Moradores do entorno do antigo prédio da Caixa Econômica Federal, localizado na avenida Leopoldino de Oliveira, nas imediações da praça Henrique Krügger, acionaram a reportagem do Jornal da Manhã para relatar o descuido com o local, repleto de lixo, pombos e água acumulada no telhado.

Procurada pela reportagem, a CEF esclareceu que o prédio em questão encontra-se em processo de venda após a mudança de endereço da agência. A empresa de manutenção patrimonial que presta serviços ao banco foi acionada e agendou visita emergencial ao local hoje, com o objetivo de eliminar qualquer acúmulo de água e adotar todas as providências necessárias, caso sejam identificados focos do mosquito Aedes aegypti. A instituição financeira ainda ressaltou que irá avaliar a necessidade de visitas extras neste período de chuvas.

Acionado pela reportagem, o Departamento de Zoonoses ressalta que o antigo prédio da CEF será vistoriado por agentes de endemias ainda nesta semana e, sendo identificados focos do Aedes, será feito o combate ao mosquito. O Departamento de Posturas da Secretária de Serviços Urbanos relatou à reportagem que a limpeza e manutenção do prédio serão monitoradas pelo departamento.

Leia mais

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia