JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 21 de agosto de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Raquel Ribeiro #FICADICA 12/05/2019

GRIPE 
O inverno está chegando e com ele as gripes e resfriados. Para garantir a sua saúde e da sua família conte com a melhor equipe de Uberaba e região quando o assunto é vacinação. A Vacinar tem um time de profissionais que faz a diferença na hora da vacinação. E para a campanha contra a gripe deste ano, o time Vacinar está a postos com os dois tipos de vacina. A Tetravalente, que garante a prevenção contra quatro tipos de vírus, e a Trivalente, que previne contra três tipos de vírus. Procure uma das unidades Vacinar mais próximas de você. Em Uberaba, em dois endereços: avenida Santos Dumont, 644, e avenida Guilherme Ferreira, 767. Para dúvidas e atendimento domiciliar, ligue 3316-3700 ou via WhatsApp 9 9652-3700. Não deixe para depois; a imunização é a melhor prevenção.

PARA AS MAMÃES DE PLANTÃO
O sutiã de amamentação é uma adaptação de um sutiã comum, que visa, principalmente, trazer praticidade para as mães que estão amamentando. É mais interessante comprá-lo ainda durante a gravidez e utilizá-lo até o momento de amamentar pois ele dá mais sustentação e conforto para a gestante que, logo no início da gravidez, vê seu corpo modificar por completo, e uma das primeiras mudanças se dá justamente no aumento dos seios.

As principais características do sutiã de amamentação buscam dar sustentação e “espaço” para o seio cheio de leite, incluindo:
• Alças mais largas;
• Não ser meia-taça;
• Material confortável e sem costura na região do mamilo e da aréola;
• Fechos que abrem e fecham na parte da frente do seio, permitindo fácil acesso aos mamilos durante a amamentação. 

A linha completa para gestantes você encontra nas duas lojas Xerri. Praça Rui Barbosa, 168, e rua Santo Antônio, 132. E se você gostou da dica e quer ficar por dentro de todas as novidades da loja, siga @xerri_lingerie no Instagram. E para o mês das mães a Xerri está dando um presente superespecial para as mamães que fazem suas compras por lá. Vá em uma das lojas Xerri, garanta as mais lindas e confortáveis lingeries e leve para casa um presentão; você ainda concorre a produtos incríveis no sorteio Mamãe de Sacola Cheia, no final do mês de maio.

AINDA DÁ TEMPO DE ARRASAR NO PRESENTE DA MAMÃE!

Quem é que andou dizendo por aí que presente do Dia das Mães se resume em eletrodomésticos e eletrônicos? Toda e qualquer mulher, antes de se tornar mãe, gosta, quer e merece uma joia. 
Se você realmente quer acertar em cheio no presente do Dia das Mães, dê uma joia. Não importa o tamanho, se é de pedras preciosas ou não, o importante é acertar. Pensando nisso, a Joalheria Cardoso preparou não só preços como condições especiais e linhas exclusivamente dedicadas às mamães. Para conhecer todos os produtos e garantir um preço e condições de pagamento que caibam no seu orçamento, vale uma ida ao Shopping. A loja está aberta hoje a partir das 14h. Se você não comprou o presente da sua mãe, ainda dá tempo de arrasar na escolha. A Joalheria Cardoso fica no Shopping Center Uberaba, na avenida Santa Beatriz da Silva, 1.501. Se você quer ficar por dentro de todas as novidades da Cardoso, acesse no Instagram @joalheria_cardoso.

NUNCA UM LIVRO QUE RENDEU TANTO 

Então, senta que lá vem a história.  Na busca frenética por livros infantis, que ensinam grandes e preciosas lições, mais uma vez lá estava eu: como uma ratazana faminta, destrinchando as prateleiras de uma livraria qualquer. Mexe daqui e dali e eis que encontro um livro com um material gráfico de encher os olhos. O negócio era pura criatividade. Um livro de capa dura com uma menina e um buraco no meio do livro; as ilustrações, uma mistura de colagem de papelão, jornal, folhas de caderno e desenhos infantis. Era o universo da criança, em formato de livro, com um título um tanto quanto nada animador: O Vazio. Bingo! Achei o que estava procurando, um livro profundo e cheio de lições não só para a vida das crianças como para as nossas vidas. Mas o que eu não imaginava, nem de longe, era o quanto aquele pequeno livro se encaixaria e renderia tanto. O Vazio, escrito por Anna Llenas, é o retrato de nossas vidas e conta a história de uma menina que consegue superar a tristeza, dando um novo sentido às suas perdas. Afinal, a vida é cheia de encontros e também de grandes desencontros. Às vezes perdemos coisas insignificantes como um anel, um lápis ou um objeto qualquer. Mas ao longo da nossa trajetória perdemos coisas bem mais valiosas, como a saúde, um amor ou uma pessoa querida. Aí, “o vazio” bate à nossa porta, sem pedir licença, e nos faz sentir esvaziados e, sem entender o que se passa, acabamos procurando algo ou alguém que tape o buraco, mesmo que provisoriamente. Colocando no outro e no mundo o sentido de nossas vidas e a razão única e exclusiva da nossa felicidade, uma questão humana que atravessa gerações e faz com que todos nós tenhamos nossas muletas. 

O CONVITE
O Vazio é literalmente um convite à reflexão, feito anteriormente por Shel Silvestsein, no livro que se tornou um fenômeno: A Parte Que Falta, tocando em uma das maiores feridas da humanidade: o vazio que nos preenche. O livro de Anna abre espaço para uma boa conversa sobre esse vazio que, na maioria das vezes, não é perceptível e se torna ainda mais sombrio ao longo da nossa vida, nos fazendo crescer sempre procurando tapar nosso vazio com algo ou alguém. A autora traz o vazio a partir de alguma perda: uma morte, doença, separação… Tudo estava indo bem até que o vazio aparece lá. E para representar bem o vazio, o buraco se localiza na barriga da personagem, Júlia. Os buracos de cada um de nós se localizam em algum lugar; o meu, claro, se localiza do lado esquerdo do meu peito, bem no coração. Para os menos melosos e mais racionais, o buraco seria na mente e ponto final. Mas graficamente falando, a escolha da autora é perfeita, bem no meio da Júlia tinha um enorme buraco, fazendo com que nós mesmos, como em um passe de mágica, comecemos a enxergar e identificar e localizar nosso próprio buraco. E é por isso que o livro é tão especial; ele acessa nossas questões mais profundas e nos faz enxergar de maneira clara e objetiva onde estão nossos buracos. Um exercício que nos leva não só aos nossos precipícios, mas também nos faz ver como eles foram formados e o quanto fazemos de nosso dia a dia um alimento poderoso para que nosso buraco fique cada vez mais fundo, se não olharmos para nós mesmos. Um convite, não. Uma intimação a olharmos para nós mesmos, identificarmos nosso vazio e nos encorajar a tomar atitude e conviver de uma forma harmoniosa com o vazio inevitável a qualquer ser humano.

A HISTÓRIA
Na trajetória da criança, tudo estava fluindo muito bem. Júlia era uma criança completa e feliz, até que um dia ela se vê sozinha com um grande vazio. Ela tenta achar a tampa correta para seu buraco, procurando o consumo, a comida, os eletrônicos, as relações superficiais. Depois de falhar em sua busca, ela desiste. E aí duas grandes páginas em branco fazem o leitor parar, no meu caso, morrer de chorar, respirar e sentir o vazio junto com Júlia. Até que uma voz lá do fundo, bem de dentro, avisa à menina que ela precisa olhar para ela mesma. E nesse momento, Julia encontra palavras, cores, sons e descobre todo um mundo mágico dentro de si. Através dele, ela vai se conectar com os outros de outra maneira. Ela descobre como lidar com seu Vazio, e como conviver com todas as pessoas que também têm seus próprios vazios, mas, apesar deles, conseguem viver, fazer coisas especiais e interessantes. A autora mostra ainda o quão importante cada ser humano é na sua individualidade para o outro, fazendo com que, no final, o vazio diminua, mas não desapareça por completo.

A GÊNIA
Anna Llenas é formada em Publicidade e Relações Públicas pela Universidade Autónoma de Barcelona e em design gráfico pela Llotja School. Tem também formação em Psicologia Analítica e uma pós-graduação em Terapia da Arte. Trabalhou como designer e diretora artística nas agências Bassat Ogilvy & Matter e Publicis Casadevall & Pedreno. Um dia, decidiu abandonar o mundo da publicidade e enveredar por um caminho mais artístico e pessoal. Desde então, desenha produtos originais, escreve e ilustra livros e dá formação em criatividade e emoções. E você aí do outro lado destas linhas, já começou a pensar sobre o seu vazio? Será que não é a hora de começar a identificá-los e quem sabe não seja tarde, para começar a encará-los sem muletas, sem meias tampas ou sequer sem tampa alguma?

O QUE FICA
Depois de O Vazio, que chegou em uma hora muito propícia, o que fica, literalmente, é a constatação de um enorme vazio, que se analisado calma e profundamente, trabalho dia após dia desde a infância para preenchê-lo, mas que a cada dia, consigo, através dos tortuosos caminhos que a vida nos apresenta, ora diminui-lo, ora aumentá-lo. Sem nenhuma garantia ou certeza. Aliás, o livro fez foi sacramentar e transformar o que era dúvida em certeza. Nós achamos e trabalhamos para termos o controle de tudo e quem sabe de todos à nossa volta, mas felizmente ou infelizmente, não temos. Somos reféns, sim, de uma sociedade, de uma vida desenhada e projetada que requer coragem, não para vivê-la mas para fazer valer a pena. É só assim que seremos capazes de viver, que seja cinco, dez ou vinte por cento de nossas vidas, felizes. É só olhando para nós mesmos, nos refugiando em nosso mundo, aquele que nós mesmos criamos, que seremos capazes não só de sermos felizes, mas de fazermos os nossos, aqueles que amamos, felizes. Portanto, por aqui o que fica é a confissão de que eu realmente preciso do meu combustível para continuar a minha caminhada, preciso do meu vazio e de todos os personagens e elementos que o compõem, para seguir a passos leves e sorrateiros minha caminhada até o fim e não poderia terminar sem deixar esta pergunta a você, leitor. E por aí, o que fica, depois deste “livro infantil”? O que você tem feito com o seu vazio e para o seu vazio? Aliás, você tem Vazio? Tenha muito cuidado ao responder prontamente. A resposta negativa pode indicar que o mundo ganhou mais um herói, com o incrível poder de ser completo e sem a menor graça.

ELE FEZ HISTÓRIA
O mês de maio, para os brasileiros que são apaixonados por Fórmula 1, é para relembrar com muita alegria os grandes momentos de Ayrton Senna do Brasil ao ganhar uma corrida. Isso porque, o 1º de maio é marcado pela morte deste grande ídolo que só nos trouxe alegrias e grandes feitos, que provavelmente nunca mais teremos com outro piloto brasileiro. Não que não tenha e nem nunca terá nenhum piloto brasileiro capaz de se destacar no cenário mundial, é que dificilmente teremos algum piloto no cenário da F1 atual que consiga os números impressionantes de Ayrton, seja ele brasileiro ou não. Mesmo depois de 25 anos fora das pistas, ele ainda é dono de alguns recordes, não sendo batidos nem por Schumacher e nem por Hamilton. Os feitos e números são realmente impressionantes. Dos novinhos e da mulherada de plantão, alguém aí sabe o que é ganhar uma corrida de ponta a ponta? Não? Calma, eu explico: Uma vitória de ponta a ponta significa que o piloto completou a corrida estando em primeiro lugar em todas as voltas. Portanto, o cara tem que ser phodaaa para fazer isso. E o Senna fez isso por 19 vezes. Isso mesmo, minha gente, 19. Atrás dele temos Vettel e Hamilton, com 15 vitórias cada um.

Achou pouco? Tem mais muito mais.
O menino é considerado o Rei de Mônaco e com louvor. Com seis vitórias e dez poles ainda, nas ruas do Principado, Ayrton é, sem sombra de dúvidas, o “Rei de Mônaco”. Vale lembrar que o número poderia ser ainda maior, já que em 1984, quando Senna se aproximava do líder Alain Prost, num cenário caótico de chuva com a modesta Toleman, a corrida foi interrompida e o brasileiro terminou em segundo. E a julgar pelo número de vitórias dos atuais pilotos que têm chances e equipamentos para vencer, o recorde não será batido tão cedo. Depois do brasileiro, os pilotos que mais têm vitórias (Graham Hill e Michael Schumacher, com cinco vitórias cada um deles) já não estão mais nas pistas. E do grid atual, Lewis Hamilton e Sebastian Vettel, com duas vitórias cada, ou seja, dificilmente conseguirão alcançar a marca. E se você ainda achou pouco, tem mais. Ayrton largou 24 vezes seguidas da primeira fila. Esse período foi do GP da Alemanha de 1988 ao GP da Austrália do ano seguinte - em 1989, o lindo largou na primeira fila em todas as 16 corridas do campeonato, pode isso produção? Nem o meu queridinho Lewis Hamilton com a lacradora Mercedes, que começou em 2014, ainda não conseguiu igualar a marca do ídolo. O pentacampeão tem 20 largadas consecutivas da primeira fila. Não é mole não. Ayrton Senna é e sempre será sensação.

 

 

 

 

 
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia