JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 20 de setembro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Carlos Paiva SENTINELA 24/06/2021


Continua depois da publicidade


Empresário é envenenado por desconhecido enquanto almoçava

Crime sem inocentes
Definitivamente o crime mais difícil de ser esclarecido é aquele que não tem inocentes. O crime onde todos são autores de algum crime. E a Delegacia de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da 1ªDRPC/5ºDPC em Uberaba esclareceu assassinato e duas tentativas de homicídios onde ninguém é inocente, nem mesmo as vítimas. A surpresa ficou por conta da autoria: um comerciante de materiais hospitalares de 36 anos que se tornou usuário de drogas. Os crimes ocorreram em 20 de abril deste ano, avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata, Parque São Geraldo, por volta das 18h45. Segundo registro policial na época, um carro Nissan Versa de cor branca placas de Recife/PE com 3 ou 4 ocupantes teria matado com tiros de pistola 9mm o Danilo da Silva Bruno, 26 anos, e tentado contra a vida de outros dois homens, 35 e 53 anos. Os dois homens foram socorridos e sobreviveram.

Motivação
Na época cogitou-se que os envolvidos teriam fornecido drogas a um dos autores/usuário de drogas e recebido alguns pertences como garantia até o pagamento. Quando o usuário de drogas foi buscar seus pertences se recusaram a devolver sob o argumento que não estavam mais com eles. Essa teria sido a motivação para os crimes.

Assassino solicitaria
Como disse no começo, nesta história não tem inocentes e os dois sobreviventes não quiseram colaborar com as investigações da DHPP, até porque teriam que contar o que causou a fúria do assassino. Depois de muita investigação, os agentes da DHPP chegaram a imagens de circuito de segurança que demonstraram que o autor do crime agiu sozinho, visto que ninguém foi observado dentro do carro além do condutor do veículo. Tais imagens demonstraram todo o cronograma da ação, desde quando o autor vislumbrava a posição de suas vítimas nas ruas, até quando praticou os crimes. Nas imagens não aparecem as placas do carro.

Testemunha
Os investigadores da DHPP descobriram que o autor dos crimes esteve em uma casa na avenida Coronel Joaquim de Oliveira Prata, passando uma madrugada inteira consumindo drogas, oportunidade em que ocorreu a penhora de seus pertences. Também descobriram que um comerciante do bairro teria recebido em penhora um aparelho hospitalar. De acordo com este comerciante, quando o autor retornou para buscar o material, contou que foram deixados outros materiais penhorados, em outro lugar, e tais materiais foram extraviados, juntamente com o estepe de seu carro.

Tomado pela fúria




Continua depois da publicidade


Foi apurado que o autor dos disparos ficou várias horas observando suas vítimas. Os agentes conseguiram novas imagens e chegaram à placa do carro e confirmaram ser de Recife (PE) e que seu proprietário seria V.L.R., 36 anos. Os agentes da DHPP também descobriram que V.L.R. é comerciante de produtos hospitalares e tem a posse de uma pistola calibre 9mm. Pronto, estavam esclarecidos o assassinato e as duas tentativas de homicídio, mas faltava prender o acusado. Não foi preciso procurar muito para achá-lo. Ele já estava preso. No dia 27 de abril passado, três dias após os crimes em Uberaba, V.L.R. foi preso em flagrante na cidade de Divinópolis (MG) por suspeita de praticar quatro assaltos seguidos. Nos assaltos ele utilizou uma pistola calibre 9mm.

Mandados de prisão preventiva
Como para a polícia não basta suposições, é necessário provas. A autoridade policial titular do DHPP em Uberaba requisitou comparação balística na arma de fogo apreendida em Divinópolis, confirmando de uma vez por todas que a pistola 9mm apreendida e de propriedade de V.L.R. é a mesma utilizada no assassinato do Danilo da Silva Bruno e nas tentativas de homicídio dos dois homens de 35 e 53 anos. A autoridade policial em Uberaba representou pela prisão preventiva do V.L.R., o que foi deferido de pronto pelo Poder Judiciário em Uberaba. No entanto, o acusado está preso em flagrante em Divinópolis e tem mais dois mandados de prisão preventiva por roubo naquela Comarca.

Furto de combustíveis no duto
Especialista em proteção de dutos da Petrobras detectou furto de combustível na avenida Filomena Cartafina, a cerca de 18 quilômetros de Uberaba. Ele registrou queixa na Delegacia de Plantão da Polícia Civil, por volta das 10h de ontem (23). Ele conta que identificou um vazamento de combustível através de uma variação de pressão e acharam os aparatos clandestinos de furto de combustível. No registro policial ele passa as coordenadas exatas do local onde estaria ocorrendo o desvio/furto.

Ganhou, mas perdeu
Comerciante de 37 anos procurou a Polícia Militar para registrar a perda de um bilhete premiado do Triângulo da Sorte. Ela relata que foi sorteada no dia 20 passado e recebeu mensagem pelo WhatsApp dos organizadores informando que ganhou no “vigésimo sexto giro da sorte” o valor de R$1 mil. Os organizadores pediram para que comparecesse com o bilhete para receber o prêmio, mas a comerciante perdeu o bilhete.

Empresário é vítima envenenamento
Empresário do ramo de bebidas é envenenado enquanto almoçava e bebia refrigerante, na avenida Américo Pessato, Pacaembu 2, por volta das 16h de ontem (23). Segundo documento encaminhado à Polícia Civil, o empresário de 35 anos atendia a um cliente enquanto almoçava e, na ocasião, estava bebendo um copo de refrigerante, momento que sentiu que o gosto estava diferente. Ele cuspiu a bebida e, ao ver o interior do cop,o observou que tinha uma quantidade considerável de uma substância granulada na cor preta, o que supôs ser veneno. Ele se dirigiu para o Hospital Universitário Mário Palmério e deu entrada vomitando muito, com sudorese excessiva, falta de ar e pressão arterial acima do normal. Ele passou por lavagem estomacal e ficou em observação. Conforme o médico que atendeu o empresário, os sintomas caracterizam possível intoxicação por substância conhecida como "Chumbinho". Na empresa da vítima, duas testemunhas disseram que o empresário conversou com um homem por cerca de 30 minutos, mas não viram o momento em que o homem colocou o veneno no copo do empresário. Imagens do circuito de segurança da empresa mostram o homem colocando o veneno no copo do empresário. O que chama atenção é que ninguém conhece o tal homem. O caso segue para a Delegacia de Homicídios.


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia