JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 22 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Reginaldo Baleia Leite REGINALDO LEITE 13/05/2022



#5 - GP de Miami - A reação taurina

Após largar do terceiro posto e, na sequência, ultrapassar Sainz Jr. P2., Max Verstappen precisou de apenas nove voltas para ultrapassar Leclerc, o pole da etapa e assim vencer o GP de Miami. O lado sujo da reta de largada do circuito de Miami não estava fácil, e muitos que largaram deste lado perderam posições, como Sainz Jr, Hamilton e Tsunoda.

Dia ruim. Max viveu um domingo dominante, venceu e fez a melhor volta. Porém, seu início de final de semana não foi fácil. Na sexta-feira, no TL 1, foi P3, tendo andado apenas quatorze voltas. Já no TL 2 a situação piorou, pois passou o treino inteiro com o carro nos boxes, envolto por vários mecânicos. Até os de Perez foram ajudar a resolver o problema.

*O destaque desses treinos de sexta foi a P2 e P1 de Russell no TL1 E TL2, situação que deixou parte da mídia especializada muito animada. A Mercedes está de volta, disseram muitos. E bastou apenas um dia para essa turminha se calar.

Salvando. No sábado, a situação melhorou um pouco para o holandês. Mas viu seu companheiro de equipe ser o melhor no TL3 e ainda ficou atrás de Leclerc. A explicação lógica seria que Max não teve tempo de aprender a pista na sexta-feira e só neste treino estava se familiarizando com o traçado. Na classificação, horas depois, errou na sua última tentativa no Q3, o que o impediu de lutar pela pole, ficando com a P3, atrás de Leclerc e Sanz Jr. Por sorte essa P3 garantiu largar do lado limpo da pista.

Devagar. Na corrida, Leclerc liderou enquanto tinha os pneus em ordem. Na sétima e oitava voltas, Max derreteu a vantagem que Leclerc havia conquistado e ultrapassou ao início do nono giro sem muito esforço. Leclerc tentou alguma reação, no entanto, na volta 13, a Ferrari 16 passou reto na curva dezessete e a partir daí foi perdendo Max de vista.

Segredos. A RB 18 tem se mostrado muito rápida nas retas e a Ferrari nas curvas. Isso já vem desde a terceira etapa. Aí, qualquer sabasquá metido a entendido iria dizer, “ Não entendo porque a Ferrari não tira um pouco de asa para ganhar velocidade nas retas.” Mas os italianos têm seus motivos para não fazer algo tão obvio. E não vão abrir o livro.

Rádio. A corrida seguiu sem disputas entre os ponteiros. Perez vinha chegando em Sainz Jr., pouco depois Perez começou a perder velocidade. Após uma conversa não muito educada via radio, da parte dele, sua equipe passou instruções de configurações, no volante, para o tequila arrumar a casa, ou melhor sua unidade de potência, e assim a corrida seguiu sem disputas nas posições dianteiras.

Compensação. Mas a turma do fundo estava a fim de aparecer na tela e nos proporcionou boas disputas. Schumacher fazia sua melhor corrida na F1 até acertar seu padrinho Vettel quase ao final. Ocon também realizou uma ótima etapa, terminou em oitavo após largar de último. Albon conseguiu a P9 com uma Williams raquítica. Stroll, assim como Albon, contabilizou os erros dos pilotos à sua frente e finalizou o top dez.




Continua depois da publicidade


Luz. Após um longo período sonolento, a corrida mudou de figura com o acidente entre Gasly e Norris, volta 41. Que provocou o Safety virtual que logo passaria para real. Russell aproveitou para realizar sua primeira troca de pneus. Perez, Ocon Ricciardo e Vettel também.

Disputas. A corrida foi reiniciada a onze voltas do final. Max manteve a ponta e Perez, de calçados novos, partiu para cima de Sainz Jr. Perez chegou até a ultrapassar, mas perdeu o Apex na frenagem. Sainz jr retomou a posição na sequência e a manteve. Bottas seguia em quinto, vendo Lewis e Russell no seu encalço, mas logo perderia a posição para os dois ao dar muita atenção ao retrovisor e cometer um erro ao perder o ponto de frenagem na aproximação da curva, chegando a dar um leve toque no muro.

Seguro. Na ponta, Leclerc tentava de tudo para pegar Max. Verstappen cometeu um pequeno erro e viu Leclerc se aproximar muito, chegando a estar a menos de um segundo do oponente e podendo, assim, acionar o DRS. Max se manteve firme na defesa e venceu sua terceira etapa de 2022. As três em que não abandonou.

Maré ruim. A nuvem negra que acompanha os espanhóis continua atuando. Sainz Jr. aparentemente se livrou dela. Alonso acha que continua sobre sua sombra. Porém, nesta etapa, ela abusou da sorte em duas situações e sofreu duas punições. Gasly e Schumacher se sentiram melhor, pois foram alguns dos prejudicados com as manobras do espanhol. E, como sempre, ele se acha com a razão e se sente prejudicado.

Maré ruim II. Lewis vem sendo superado pelo seu companheiro de equipe constantemente. Russel, apesar de ter sido a surpresa da sexta-feira, viveu um sábado ruim, já que não ascendeu nem ao Q3, ficando apenas com a P12, enquanto Lewis conquistou o sexto na classificação. Na corrida, apesar de uma largada ruim, Hamilton se recuperou; vinha em sexto e Russel em sétimo, sem ter parado. E quando o Safety virtual foi acionado, não chamaram o inglês. Novamente perderam o time para parar o inglês durante um Safety Car. E nas duas ocasiões Russell se beneficiou.

*Os italianos há tempos não se mostram bons na estratégia. Até os adversários percebem e agradecem. A lógica, segundo Christian Horner, seria os italianos parar Leclerc quando foi acionado Safety virtual. Já que Max estava à sua frente e não poderia reagir naquela situação. E assim, o carro 16 teria onze voltas com pneus novos para superar Max, como fez a Red Bull na etapa final, em Abu Dhabi, ano passado.

Show. O norte-americano sabe como fazer um belo espetáculo. Nesse quesito, o GP de Miami foi ótimo. No entanto, a turma do apoio precisa melhorar muito. Depois dos acidentes nos treinos, que resultaram em quatro bandeiras vermelhas, houve muita demora para liberar a pista. O traçado também precisa ser revisado em alguns pontos para o ano que vem, algo que certamente não vai ser ignorado. Por outro lado, o número de torcedores da Ferrari nas arquibancadas chamou a atenção. Em menor número não faltaram os torcedores de Max.

• A próxima etapa será na Espanha e todas as equipes levaram atualizações de seus carros. Teremos quase que um novo campeonato. Na esperança de que não faltem disputas, emoções e mais igualdade nos equipamentos com as atualizações.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia