JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 11 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Reginaldo Baleia Leite REGINALDO LEITE 01/04/2021


Continua depois da publicidade


GP do Bahrein 2021 - Uma estreia inesquecível

Na hora H Max dominava a prova e a Mercedes, sabendo disso, usou as armas possíveis naquela hora, partiu para uma tática defensiva. Porém, resguardando Lewis, já com Bottas... A Red Bull reagiu ao golpe e tinha um carro em melhores condições nos momentos finais.

Bahrein foi o palco da primeira etapa da F1 2021. E que estreia; vimos uma ótima corrida, cheia de disputas no pelotão do meio e até da turma do fundão. Esquecendo a luta pela ponta, também vimos boas disputas pelas 3ª, 4ª, 5ª e 6ª posições nos momentos iniciais. Max Verstappen foi dominante o final de semana inteiro.

Mas, uma estúpida ordem via rádio (a mando dos comissários), manda Max devolver a posição logo após ter superado Lewis, pois ultrapassou o limite da pista na curva quatro. Uma besteira que atrapalha o esporte, mas está no regulamento infelizmente. *Saudades da época onde uma manobra ousada e habilidosa era concluída com sucesso. Era aplaudida. E não era considerada infração pelos comissários.

DEMAIS. Esquecendo as mazelas dos organizadores, enfim vimos um ótimo final de corrida. Tudo bem que quem venceu foi o de sempre. No entanto, totalmente diferente dos anos anteriores, quando ele mandava e não pedia. Agora vimos uma disputa entre equipes.

 

Lewis ganhou de maneira totalmente diferente do que estávamos acostumados a ver. Teve que brigar para ganhar e contou com um elemento extra-pista para ser vencedor. Por outro lado, teve o mérito de segurar um carro superior ao seu num circuito que oferece bons pontos de ultrapassagens. Se ocorresse em Mônaco não teria os mesmos méritos.

SEM MISÉRIA. O trabalho da Band no mundo F1 foi além das expectativas. Se na Globo o esporte era apenas um elemento na sua grade de programação, na Band a F1 ganhou uma atenção primordial. A emissora dedicou várias horas ao assunto e contou com convidados de primeira. E ainda nos bridou com a F2. Ainda teremos a F3 quando este campeonato começar. Parabéns ao time da Band.

DETALHE. Sem esquecer-se de comentar a mancada de Sergio Mauricio quando Max ultrapassou Lewis e, na sequência, foi obrigado a devolver a posição. O narrador aparente não estava vendo o monitor que mostrava os acontecimentos e, para piorar, levou Regi a cometer o mesmo erro, que logo foi meio que reparado. Mas nada parecido com o que um antigo narrador fazia, quando errava e ainda tentava inventar um história para justificar seu erro.

AS EQUIPES

MERCEDES. Os alemães trabalharam muito após os testes pré-temporada. Diminuíram boa parte da diferença para o carro taurino. Contudo, ainda não encontraram o acerto ideal. Por outro lado, Lewis mostrou que merece o salário que ganha. Já a estratégia foi imposta a Bottas,  É duro ser segundo piloto.




Continua depois da publicidade


RED BULL. Os taurinos foram a sensação do final de semana. Palmas para Newey e Honda, Verstappen foi guerreiro como há tempos, mas faltou um pelinho no final. Já o “Tequila Man” sofreu das mazelas de ser segundo piloto dessa equipe, nada deu certo. Falha no Q2, depois o carro apaga na volta de apresentação. Mas o mexicano mostrou na corrida que sabe como administrar os infortúnios. Depois de largar dos Boxes finalizou em quinto.

MC LAREN. A equipe laranja melhorou com a unidade de potência da Mercedes. Norris fez uma ótima corrida terminando no quarto posto, depois de ter largado em sétimo. Ricciardo sofreu com defeito no assoalho depois do toque com Gasly, ainda assim conseguiu chegar aos pontos. Terminou no sétimo lugar, depois de largar em sexto.

FERRARI. A Machina Rossa melhorou em relação ao ano passado. Todavia, vimos que ainda não é superior a McLaren. Leclerc fez uma ótima classificação ao conseguir o quarto posto, na corrida foi superado com facilidade por Norris e Perez. Sainz Jr. largou e terminou em oitavo. Porém, fez uma primeira volta ruim e se recuperou no desenrolar da corrida. Sainz Jr. assim como Perez e Ricciardo estão se adaptando aos novos carros. Vettel estaria nesta lista. Mas padece de outros males.

ALPHA TAURI. A equipe italiana surpreendeu no final de semana. Gasly largou em quinto (no TL 3 foi terceiro). Tsunoda largou em décimo terceiro. A corrida de Gasly acabou logo no reinicio com o toque com Ricciardo. Tsunoda terminou no nono posto, marcando pontos na estreia; fato que não ocorre todo dia, o último a conseguir foi Vandoorne em 2016. Essa equipe ainda vai surpreender nesse campeonato.

ASTON MARTIN. A primeira etapa não foi o que se esperava. De cópia da Mercedes não vimos nada nessa versão 2021 do finado carro rosa. Foi a equipe com maior regressão em relação a 2020, ano em que lutou pelo terceiro lugar até a última etapa. A estrela da equipe foi mal nos treinos (17). Sofreu uma punição e largou na última posição.

Na corrida proporcionou bons momentos em disputas com Alonso. Posteriormente realizou uma manobra infeliz sobre Ocon e recebeu uma punição de cinco pontos na carteira de piloto. Stroll foi melhor em todos os quesitos. Largou em décimo, chegando a ocupar melhores posições. Depois que calçou os compostos duros foi decaindo. Nos momentos finais foi surpreendido por Tsunoda e perdeu o nono posto. Pelos marcou um pontinho.

ALFA ROMEO. A equipe cresceu em relação ao ano passado. Parte disso se deve a nova unidade de potência italiana. Esperávamos mais depois dos rendimentos nos três primeiros treinos. Na classificação passou fácil para o Q2, situação quase impossível ano passado. Na corrida, Kimi e Giovinazzi andaram entre os top ten. Na bandeirada, final Kimi foi décimo primeiro e Giovinazzi décimo segundo, há uma volta atrás.

ALPINE. A equipe francesa surpreendeu de maneira ruim. Em momento algum conseguia ser a mesma de 2020. Porém, na classificação, o hispânico surpreendeu a todos. Pois nos três primeiros treinos oscilou entre décimo quinto e décimo sexto e sempre atrás de Ocon (8º no TL3). Ao final da classificação Alonso foi nono e Ocon apenas décimo quinto. Alonso protagonizou bons momentos com Vettel. Posteriormente, foi obrigado a abandonar por falhas de freio. Segundo a Alpine, uma embalagem de sanduiche impediu a ventilação dos freios traseiros. Ocon terminou no décimo terceiro posto. Muito estranho. Durante a prova Ocon obteve um ritmo melhor que Alonso. Como explicar a falha do francês na classificação?

WILLIAMS. A tradicional equipe inglesa também melhorou em relação a temporada passada. Não é mais a dona da última fila. É a única equipe que tem um carro de 2021superior ao de 2020 em velocidade, mesmo com as novas regras. Traduzindo, o carro de 2020 era péssimo. Mesmo assim, ainda não é um carro capaz de brigar por posições do meio da tabela. Russell ascendeu ao Q2 e fez uma boa corrida pelo equipamento que dispõe. Latifi não conseguiu subir para o Q2 e não concluiu a etapa. Abandonou a cinco voltas do final.

HAAS. A equipe norte americana tomou da Williams a propriedade da última fila do grid para 2021. E já declarou que realizará poucas mudanças no carro deste ano e está totalmente focada no desenvolvimento do carro de 2022. É a única equipe que tem dois pilotos iniciantes na categoria. Mazepin conseguiu a proeza de bater na primeira curva da primeira volta. Isso fora as rodadas nos treinos.  Praticamente ainda não estreou. Mick Schumacher foi o último dos dezesseis que concluíram a etapa bareinita. Mick pelo menos conseguiu ir ate o final e assim vai se familiarizando com seu novo carro.

Essa etapa nos mostrou que agora temos uma disputa real, equipe x equipe. Situação que não vemos ha tempos. Tomara que na próxima etapa na Itália a situação se repita.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia