JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de junho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Reginaldo Baleia Leite REGINALDO LEITE 19/03/2021


Continua depois da publicidade


Voltando aos trabalhos 2

A categoria rainha do esporte automotor voltou a acelerar no final de semana passada, nos dias 12/13 e 14 de março na pista de Sakhir no Bahrein. Foram praticamente três meses sem os carros na pista

PASSADO. Desde que foram proibidos os testes particulares no final de 2008 e na temporada seguinte implantado os testes coletivos antes do inicio de uma temporada, esta foi a primeira vez que estes testes duraram apenas três dias. A Culpa é da pandemia, diz a organização.

INÉDITO. Os testes deste final de semana ficaram marcados como a única ocasião em que a equipe da marca da Estrela não dominou, isso desde 2014. Desde essa época, a equipe alemã sempre, sempre se sobressaiu em velocidade e, principalmente pela quilometragem percorrida; que é o que realmente importa nestes testes.

MUDANÇAS. Para 2021 a principal mudança no regulamento foi o decréscimo de 10% no arrastro aerodinâmico (Downforce). E assim todos foram obrigados à reprojetar a aerodinâmica. Fora os aerofólios, o assoalho é a peça de maior importância nesta redução de downforce. E os alemães fizeram mistério escondendo o seu da mídia e dos concorrentes.

SUSPENSE. Esconderam na apresentação do carro via web e ainda abdicaram de realizar o dia de filmagem onde as equipes disfarçadamente testam alguns parâmetros do carro recém nascido. Neste dia de filmagem, o carro não pode ultrapassar a marca de 100 kms de percurso e ainda tem de usar pneus de teste da Pirelli. Sendo assim, os alemães chegaram em Sakhir com um carro sem shakedown.

DOEU.
Os alemães pagaram um preço alto pela arrogância e viram o carro taurino ser consistente e rápido. A Mercedes conseguiu realizar a menor quilometragem dos três dias de testes, ao contrario do estava acostumada. Fora os problemas de cambio e outros pequenos defeitos, os pilotos relataram que o carro esta sem balanço e tem uma traseira arisca. Posteriormente, na terça-feira 16/03, enfim eles realizaram seu dia de filmagem.

OUTRO LADO. Na temporada passada quem tinha um carro de traseira nervosa era a Red Bull, sendo que equipe demorou algum tempo para acalmar o carro e neste ano a situação se inverteu. A finada Mercedes Rosa, agora denominada Aston Martin, também sofreu panes na transmissão e outras elétricas como a nave mãe.

DIFERENTEMENTE. A Mc Laren, que agora também usa o trem de força (UP), da equipe alemã, não sofreu com os mesmos problemas, assim como a Williams igualmente. A duas equipes inglesas fabricam seu próprio cambio e outras peças.

MUNIÇÃO. Já a Aston Martin comprou tudo que o regulamento permite da Mercedes (isso hoje, por que antes, compraram até o que não podia). Pela lógica, os alemães não querem fornecer munição para uma equipe como a Mc Laren já que esta poderia ser uma adversária de peso para os carros alemães.




Continua depois da publicidade


Alias, foi por isso que os ingleses se desfizeram da antiga parceria com a Mercedes (1995/2014) e embarcaram num projeto com a Honda ao fim de 2014, no qual Alonso era peça importante. Foi onde tudo deu errado, ou melhor, foi engrenar mais tarde, noutra equipe e sem Alonso.

VOLTANDO. Nos testes, a equipe taurina dominou em velocidade e ainda teve a companhia da equipe JR- Alpha Tauri no segundo posto, com estreante japonês Yuki Tsunoda. Logicamente esse resultado de Tsunoda foi com os pneus ultra macios (C5) e quase sem combustível. Resultados assim de equipes menores em testes nunca são levados a serio.

IMPORTANTE. A quilometragem percorrida e os testes em condições de corrida são considerados os itens de maior importância nesta fase.No quesito condições de corrida os taurinos foram muito bons. Já em quilometragem percorrida não foram os melhores (sétima equipe com 396 kms percorridos). Porém foi a equipe que virou o pescoço dos concorrentes.

DETALHE. As melhores em quilometragem percorridas foram: Alfa Romeu e Alfha Tauri com 422 km/s percorridos seguidos dos vermelhos com 404 km/s e a ex-Renault, agora denominada Alpine, com 396 km/s percorridos.

RANKING. Poderíamos dizer que em condições de corrida que a Red Bull liderou seguida da Mercedes com meio segundo de desvantagem para os taurinos; já a McLaren tem um déficit de quatro décimos dos alemães.

AVANTE. A Ferrari demonstrou que o motor de enceradeira é coisa do passado, porém percebeu-se que ela ainda esta devendo um pouco para incomodar os ponteiros. Ou seja, vai se esforçar para ser a terceira força. Já a Alfa Romeu, que tem um orçamento muito menor que a equipe mãe, foi um pouquinho a frente em condições de corrida.

TORCIDA. Estranhamente os alemães começaram atrás. Espero que não seja apenas um marketing para dar uma apimentada na categoria. Não importa qual seja a realidade. O certo é que a equipe alemã tem poderio técnico para reverter o jogo. Tomara que demorem. Os vermelhos também tem esse poder já que agora estão livres das amarras daquele vulgar acordo com a FIA da temporada passada possuindo um estafe técnico dos melhores da categoria.

*Semana próxima falaremos das novidades visuais das equipes para 2021

Um ótimo resto de semana!


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia