JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 21 de junho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 09/06/2021


Continua depois da publicidade


Vereadores querem medidas mais firmes e claras no combate à pandemia

Durou quase seis horas a reunião entre a prefeita Elisa e os vereadores na noite de terça-feira. Mais parecia uma sessão de terapia, tantas as queixas e demandas apresentadas pelos vereadores, todos ávidos por serem ouvidos e também loucos para desabafar. Foi uma verdadeira catarse! Detalhe: dos 21 vereadores que compõem o Legislativo uberabense, apenas 15 participaram do encontro virtual. Imagine se todos tivessem participado… o papo iria varar a madrugada!

ALVOS PRINCIPAIS

Com índices desacreditados em razão de cálculos feitos com bases pouco convincentes, a tal taxa de positividade esteve no topo das críticas dos vereadores. No entanto, a taxa de positividade não será mais o único indicador oficial para definição das regras de enfrentamento à pandemia. Embora a matemática não seja o forte da Saúde, foi proposto um sistema de fases para substituir o esquema anterior. Esse sistema vai levar em consideração a taxa de ocupação de leitos Covid tanto de UTI quanto enfermaria, combinada com a taxa de incidência e com a taxa positividade. Cada indicador desses receberá um peso, variando de 1 a 3. Depois, será tirada a média dos pesos. Se o resultado ficar abaixo de 1,5 teremos um cenário de pandemia sob controle e vida quase normal (fase verde). Se ficar entre 1,5 e 2,5 (fase amarela) teremos de seguir certas regras. Acima de 2,5 estaremos na fase crítica (vermelha), com regras mais rígidas. Em síntese: voltaremos a pelejar com números e com cálculos matemáticos, sempre sujeitos a discordância e desconfianças. Mas…

PREOCUPAÇÃO EM DOBRO

Aliás, esse sistema de fases deixou o vereador Túlio Micheli mais preocupado do que já estava com os rumos do enfrentamento à pandemia em Uberaba. Ouvido pelo programa O Pingo do Jota desta quarta-feira, ele avaliou que saiu da reunião de terça-feira com a sensação de que o governo municipal está mais preocupado em equilibrar os índices, do que em conter o avanço da doença. Ponderou que a prefeita já admitiu publicamente que os números da Covid podem não ser reais, devido a atraso nas informações e a outros problemas. “Como podem, então, servir de parâmetro para nortear as ações?” - questionou o vereador. 

NOVO RUMO

A vereadora Rochelle Bazaga, por sua vez, considerou positivo o encontro com a prefeita Elisa, destacando principalmente que agora Uberaba terá um parâmetro para traçar o seu planejamento de ação contra a Covid. Outro ponto positivo, segundo ela, foi o compromisso firmado pela prefeita de implantar um protocolo para testagem, de modo a evitar que tantos pacientes com síndrome gripal retornem para casa sem passar pelo teste para Covid. “Delta vem testando entre 250 e 300 pessoas por semana. Uberaba, com população bem maior, testa cerca de 500 por semana. É muito pouco!” 

QUE TESTAGEM É ESSA?

Túlio Micheli também criticou a “testagem em massa” anunciada pelo governo municipal, lembrando que apenas 120 pessoas foram testadas na rede pública, dentre as 600 que procuraram atendimento com sintomas gripais nesta terça-feira. As outras 480 pessoas voltaram para casa sem ser testadas, embora tivessem sintomas. Revelou que durante a reunião de terça-feira a prefeita explicou que nem todos são testados, mas todos os sintomáticos estão recebendo tratamento inicial. A explicação não convenceu o vereador, que questiona: “Como iniciar um tratamento sem saber o diagnóstico do paciente? Muitos podem estar apenas resfriados, ou com dengue. Sem testá-los, o município não terá um quadro real da pandemia na cidade. Por isso, volto a dizer: o governo não pode só pensar em equilibrar os números. Precisa testar os sintomáticos”.   

CRITÉRIOS CLAROS

Para a vereadora Lu Faquineli, o governo municipal precisa deixar claros os critérios para a testagem: suspeitas, idade, sintomas. Além disso, ela considera imprescindível que o governo informe quantas pessoas estão sendo testadas por dia com os novos 20 mil kits Covid comprados pela Prefeitura. “Onde estão esses testes? Houve mapeamento das UBSs para saber quantos testes devem ser entregues para cada uma, de acordo com a respectiva demanda? O povo quer saber. E nós, vereadores, estamos em contato com o povo. Precisamos ter essas informações” – enfatiza, completando: “Pedi para a prefeita nos dar respostas que não fossem vazias. Manter a população informada, sempre”.   

REDE COLAPSADA




Continua depois da publicidade


Outro detalhe: Túlio Micheli alerta que não apenas os leitos Covid estão saturados, como também os não-Covid enfrentam colapso há semanas. E, por outro lado, as taxas mostradas nos boletins epidemiológicos continuam totalmente defasadas, o que é fato. Basta tentar hospitalização de paciente para constatar que os leitos disponíveis nos boletins da PMU não estão vagos na “vida real”.

CARTAS NA MESA

“Precisamos falar sobre os ônibus que continuam lotados, sobre a necessidade de cobrarmos multas mais pesadas e de implantar um sistema de fiscalização rigoroso para enfrentar a pandemia em Uberaba. E buscar as vacinas extras que o governador nos prometeu. Vamos montar uma comissão de vereadores, prefeita e lideranças para cobrar a promessa do governador, ou então vamos chamá-lo de mentiroso. Chega de tapar o sol com bambolê ou peneira!” - desabafou o vereador Túlio Michelli. 

MAIS AÇÃO

Embora o efetivo da Guarda Municipal conte com 170 homens, apenas 30 estão diretamente envolvidos com ações de enfrentamento à pandemia. É muito pouco, considerando que Uberaba tem mais de 300 mil habitantes. A vereadora Rochelle Bazaga defende a intensificação das ações, em especial no Mercado e no Calçadão. Além disso, ela ressalta que a Prefeitura pode usar servidores de outras pastas para desenvolver ações educativas. Não precisa usar apenas a Guarda.

Enfim, de acordo com a vereadora, ficou claro que “o governo municipal sabe o que fazer. Basta fazer”. 

ESPERANDO O QUÊ?

“Temos certeza que a demanda é alta e a GM está se desdobrando. Mas qual é a política preventiva? Lei seca? Toque de recolher? Horário reduzido? Lockdown?  Se tem super demanda para a fiscalização, super demanda por internação hospitalar, número alto de mortes... o que estão esperando para conter essas demandas?” – questiona a vereadora Lu Faquineli.

 NA ATIVA

Já o vereador Cabo Diego Fabiano amanheceu reunido com o comando da Polícia Militar em Uberaba, pedindo apoio no reforço à fiscalização para conter os abusos em aglomerações etc.

ESTRANHO NO NINHO

O médico infectologista Francisco Cardoso, que atua fora de Uberaba, também participou da reunião entre vereadores e prefeita. Ele foi apresentado como “consultor” do Comitê Técnico de Enfrentamento à Covid de Uberaba, embora não se saiba se como voluntário, ou contratado. O que chamou a atenção foi a afirmação categórica feita por ele durante a reunião: “Uberaba está muito à frente no planejamento coletivo das medidas de enfrentamento em relação a outros comitês de que participo”. Garantiu que Uberaba está no caminho certo. Mas não convenceu os vereadores...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia