JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 15 de junho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 17/05/2021


Continua depois da publicidade


Relatório da CEI dos fura-filas deve ir a plenário no início de junho

Se a Comissão Especial de Investigação dos Fura-Filas da vacina contra Covid entregar o relatório dos trabalhos até o dia 30 de maio, conforme previsto, o presidente Ismar Marão deverá submetê-lo ao Plenário da Câmara imediatamente, o que pode acontecer na primeira semana de junho, ou até mesmo antes. Foi o que ele próprio afirmou em entrevista ao programa O Pingo do Jota, nesta segunda-feira. Na sexta-feira, o Presidente Marão se reuniu com os membros da CEI dos Fura-Filas para saber em que pé estava o andamento dos trabalhos e concluiu que estão bem encaminhados.

PRÓXIMO PASSO

O trâmite da CEI das Vacinas será o mesmo de todas as comissões semelhantes. O passo seguinte ao da leitura do relatório em plenário deverá ser o julgamento pelos vereadores. Se o relatório for acatado, Marão já fará de imediato o sorteio dos membros da Comissão Processante. Aí serão os outros 500. Bem mais complicados.

E DEPOIS?

Se a CEI for transformada em Comissão Processante poderá haver punição a servidores e comissionados e até mesmo à prefeita, resultando em exonerações e até impeachment.

NÃO SABIA

Na avaliação do presidente Ismar Marão, a prefeita Elisa não sabe, como não sabia, de tudo o que se passava com a vacinação contra Covid em Uberaba. “As oitivas servem para deixar claro se ela teve conhecimento ou não; se houve alguma falha e essa falha foi encaminhada a ela, e se algum documento foi entregue à prefeita. As oitivas vão evidenciar se houve erro e quais as pessoas estiveram envolvidas, para, aí, sim, serem chamadas à responsabilidade”.
No entanto, Marão defende que, se ficar evidenciado o envolvimento de servidores e secretários em irregularidades, a prefeita deverá, no mínimo, afastá-los do cargo até a apuração definitiva pela Comissão Processante.

BARRADOS NO BAILE

Presidente Ismar Marão também revelou ao Pingo do Jota que solicitou aos membros das comissões especiais de investigação, incluindo a das Vacinas, que não participassem de reunião com a prefeita Elisa na semana passada. Segundo ele, a intenção foi focar as discussões no projeto do restaurante Popular, evitando, assim, que o assunto enveredasse para reclamações de vereadores sobre o não atendimento dos pedidos endereçados individualmente ao Executivo. No entendimento de Ismar, evitando o contato entre as partes nesse momento foi possível evitar qualquer eventual constrangimento ou alegação futura de que o desfecho das investigações teria sido contaminado pelo não atendimento a pedidos feitos pelos membros das comissões especiais à prefeita.

NO TABULEIRO

No jogo de xadrez da política, as peças começam a ser movimentadas. Primeiro foi o PV. O próximo pode ser o PSD, que tem reunião marcada para o fim de semana, justamente para discutir os rumos do partido para as eleições de 2022. Reunião será comandada pelo ex-prefeito Marcos Montes, atual secretário executivo do Ministério da Agricultura.

FUTURO INCERTO

Não será surpresa se o presidente da Câmara, Ismar Marão, vier a disputar eleições para deputado estadual no ano que vem, pelo PSD. Essa decisão, porém, vai depender de costuras partidárias, envolvendo principalmente o futuro político do deputado Heli Grilo, tio de Ismar.

ORGANIZAÇÃO JÁ




Continua depois da publicidade


UMS Roberto Abdanur precisa urgentemente implementar processos de organização para o atendimento a pacientes com síndrome gripal. No fim de semana, a unidade que é referência para Covid no município, esteve lotada de pessoas. Na sua estrutura externa, não havia sinalização adequada para o distanciamento entre os pacientes, com cadeiras sendo ocupadas lado a lado. Pessoas em pé, aglomeradas, colocavam outras em risco de contaminação, pois, afinal, nem todos ali testariam positivo para Covid. Estavam todos misturados, os positivos e os negativos. Como unidade de referência, a UMS Roberto Abdanur precisa dar o bom exemplo.

COMO PODE

Leitor da coluna revela que esteve na UMS Roberto Abdanur no sábado, pela manhã, com sintomas de Covid. Esperou até por volta de 15h para ser atendido. Ao reclamar, teria ouvido da coordenadora da Unidade que a culpa era dele, por não ter preenchido uma ficha de pré-atendimento, a ser entregue na Secretaria de Saúde. Mas que ficha é essa? Até onde se sabe, ninguém avisou que para ser atendido na rede pública é preciso fazer um pedido prévio, ou marcar consulta na SMS…

CONTRADIÇÃO

A propósito, o cidadão sexagenário testou negativo na UMS Roberto Abdanur. Mais tarde, incomodado com os sintomas, recorreu a farmárcia, onde passou por novo teste de Covid, com resultado positivo.

LONGE DO FIM

De acordo com o último relatório divulgado pela Secretaria municipal de Saúde, 66.353 uberabenses já receberam a primeira dose da vacina contra Covid e 35.452, a segunda dose.

COMUNICAÇÃO FALHA

Na vizinha Uberlândia, a vacinação contra Covid sofreu um contratempo inusitado. Uma pane no sistema de telefonia da Algar afetou o disparo de mensagens via SMS para confirmar data, hora e local da vacinação ao público-alvo.

MAIS INSUMOS

Governador de São Paulo, o rei do marketing pessoal João Dória Júnior, anunciou nas suas redes sociais que o Instituto Butantan poderá retomar a produção de vacinas contra a Covid a partir do final deste mês. A China, segundo Dória, teria confirmado o envio de 4 mil litros de insumos para o dia 26 deste mês, o que deverá resultar na produção de mais 7 milhões de doses da Coronavac. Oremos!

QUADRO PROMISSOR

Estudo divulgado neste fim de semana revela que a Itália conseguiu reduzir em 80% as infecções por coronavírus, cinco semanas após a vacinação com imunizantes da Pfizer, Moderna e AstraZeneca. A Itália já foi o epicentro da pandemia e hoje registra 13,7 milhões de pessoas vacinadas em todo o país. Mas adotou medidas rigorosas de enfrentamento à propagação do vírus, fechando inclusive suas fronteiras com outros países. Agora, passados um ano e meio do início dessa pandemia, surge o resultado desse primeiro estudo sobre a eficácia da vacinação. Os cientistas mostram que o risco de infecção, hospitalização e morte por SARS-CoV-2 diminuiu progressivamente
após duas semanas da aplicação da primeira dose e, a partir de 35 dias, a redução das infecções chegou a 80%, subindo para 90% nas hospitalizações e 95% nas mortes.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia