JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 04 de dezembro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Carlos Roberto Moura - Ticha NO BICO DA CHANCA 13/11/2021


Continua depois da publicidade


Fabrício: Uma história linda do time que jogava no terrão e nos campos esburacados

TOQUE DE PRIMEIRA

Muitos leitores e amigos, que a gente encontra ou fala pelo telefone ou até mesmo no WhatsApp cobram histórias de muita gente, do futebol ou profissional em outras áreas que marcaram época e fizeram histórias por este mundão afora. No futebol, clubes famosos com escalações gigantes como teve Uberaba SC, Independente e Nacional, e times do futebol amador, Futsal, Society e por onde a bola rola ou vai rolar é preciso uma atenção especial, pois todos tem o seu valor. Já escrevi sobre times do futebol amador e até mesmo varzeano. E por falar em Várzea, como citei no começo as cobranças estão em duas equipes: A Musical, time do Bilo Miranzi, que estou providenciando, inclusive pedindo ajuda ao Fernandinho Caparelli e ao Alfredo Miranzi e do Alvorada, time que fez sucesso nos anos 80. Esse time do Bairro Fabrício, que tinha uns baixinhos bons de bola, davam o maior show. Devo ter assistido umas quatro partidas deste time montado e escalado pelo Odair Pereira, que com o maior orgulho deixava seus afazeres para estar presente nos jogos do clube. Alvorada foi Campeão da Copa Valença, Torneio realizado em 1984. E foi em uma partida contra o Tupi, que Inguinha e Augustinho marcaram os gols do campeão, e Cebola descontou para o time do Quartel que tinha em suas fileiras o bom de bola Pim. Placar final: Alvorada 2 x 1 Tupi. Na foto tem muita gente conhecida, que não fizeram carreira como jogador profissional, mas tiveram a felicidade, de nas tardes de domingo jogar aquela bolinha, com amor e muita amizade. Cido abre a formação da foto; Jadir, outro bom de bola, vem puxando a fila. Inguinha, que depois foi jogar no Fabrício, sempre foi bom de bola. Lete bom jogador, moço da família Vaz. João Dedim foi outro que “comia a bola”: vontade, técnica, marcação e apoio era com ele mesmo. O goleirão Edelson, que entrava em campo para vencer, tinha pavor da derrota. No futuro passou a ser treinador do Tupi e mais tarde se aposentou como militar. Quem não se lembra do Currupa? Magrelão jogador tipo Sócrates, gostava de trabalhar com a bola no chão, e tinha bom passe. João Moreno, foi um atacante de valor: bom de bola e jogou em alguns times do nosso amadorão. O atacante Celinho, magrinho, e de muita técnica e habilidade, jogava fácil e foi artilheiro da Copa Valença com 16 gols. Luciano, meio campista de pouca velocidade, mas de boa colocação; foi outro que jogou em outros times do amador. Augustinho, este baixinho foi endiabrado; para falar a verdade era do tipo do Michael, do Flamengo. Rápido, dribles e passes: corria muito. História linda do time que jogava no terrão e nos campos esburacados esparramados na cidade. Era só felicidade.

Time que jogou a Copa Valença.

Alvorada no jogo das faixas.

João Dedim, apaixonado por futebol, até hoje trabalha no comércio de chuteiras.


MOTO ZEMA
tem a moto de seus sonhos. Peças, serviços, acessórios e qualidade no atendimento. Avenida Guilherme Ferreira, 795 – fone: 3318-3600. Visite nosso showroom e realize seu sonho. Inspeção gratuita de 21 itens. Fácil comprar.

CANELADAS

Papo musical:
--- Você que entende de música, responda em nota alta. Por que o Zeca Pagodinho canta samba e o Exaltasamba canta pagode?
--- Então, é aí que entra o Funk.

De um encanador, torcedor do Vasco da Gama:
“Não dá pé, estamos só entrando pela tubulação. Nosso goleiro tá só vazando, meio campo é uma água, defesa é um furo, e o ataque é um CANO que só fica na banheira”.

Karrapixo afirma para o David, é prova que o nosso Makarrão em sua carreira esportiva já modificou várias vezes o placar de uma partida.
--- Fazia muitos gols?
--- Não. Era o garoto do placar!




Continua depois da publicidade


Dever da escola:
--- Meu filho, você já fez a lista dos onze brasileiros mais famosos que você conhece, como o professor pediu?
--- Quase, papai. Só está faltando um atacante!

ESTEIO Materiais para Construções é o caminho certo. Avenida José Maria Reis, 310 – fone: 3338-8444. Da base ao acabamento, ESTEIO nome sólido em construção. Fale com Nadir, Oscar, Diego ou Larissa. Construa com qualidade. 38 anos no mercado com os melhores preços. Venha tomar um café conosco. WhatsApp 9.9250-8444.

BOLA DE MEIA
Parece que a paciência dos clubes se esgotou, isso com relação a arbitragem brasileira. Depois de muitas “falhas” cometidas seguidamente, o jogo entre Flamengo x Bahia foi a gota d'água. Com isso, a CBF resolveu demitir Leonardo Caciba. Precisava.
A cada rodada os campeonatos vão se definindo em três partes: começo, meio e fim. A briga pelo G4 está sendo com toda garra, principalmente na Série “B” do Brasileiro, onde apenas duas equipes estão firmes: Coritiba e Botafogo, querem subir com o título.
Portanto, as partidas que vêm sendo jogadas vem definindo a matemática da situação. CSA tem condições de ficar, como, também o Guarani pode chegar. Goiás é outro que vai ter que jogar muita bola para subir. Vasco não tem chances: foi surpresa?
Com mais um pontinho o Cruzeiro escapa de vez e pode começar a pensar e planejar 2022. Para isso vai organizar a parte financeira. A fase é horrível. Exemplo é do Vasco da Gama, que chegou bem perto, mas a estrela apagada de Diniz nem piscou.
A Série “A” do Brasileiro não é diferente e os resultados dentro de campo, com ou sem erros das arbitragens estão modificando e até mesmo, atingindo o emocional dos clubes. São erros incríveis. Falar em erros, Alicio Pena assume o comando da arbitragem.
O Atlético-MG não vai estar em campo na rodada deste fim de semana, mas Flamengo, Palmeiras, Fortaleza e Bragantino jogam pensando em descontar a diferença. Vale a pena, mas ninguém tira o Galo da liderança. O time é muito bom. Galo campeão!
Bragantino e Fortaleza é o jogo do sobe e desce, quem perder pode ter que trabalhar dobrado na sequência. O Corinthians, mesmo jogando em casa, vai ter dificuldades com o Cuiabá. No Maracanã, o Fluminense precisa vencer, mas o Palmeiras quer o topo. E aí?
É no Morumbi que vai ter o duelo entre o desfalcado Flamengo, contra o São Paulo de Rogério Ceni. Bom jogo. No Independência com ansiedade de chegar mais além, o América vai jogar tudo para vencer e afundar o Grêmio. Promessa de jogão de bola.
As oito categorias do nosso futebol amador vão estar em ação neste final de semana. É a Taça Uberaba de Futebol Amador marcando a sua segunda rodada. No Infantil tem Bom Retiro x Uberaba, e Fabrício x Corinthians. Nos Juniors o Fabrício pega o Pinheiros.
No Amador o Independente visita o Costa Telles; no Máster os bons Fabrício e Bonsucesso encaram Havaí e Atlético. No Sênior, o Ipiranga vai ter que usar sua melhor estratégia para parar o timaço do Fabrício, que na estreia fez 18 a 0 no Havaí. É gols.
A última rodada da primeira fase da “Segundona” é extremamente decisiva. Por aqui, Uberaba SC encontra com o Araxá; quem vencer termina a fase com a liderança. A promessa é de bom jogo. O ingresso custa R$ 30. Torcida vai marcar presença. TRAVA.

TA CONFECÇÕES – Há 24 anos no mercado brasileiro com absoluto sucesso. Uniformes profissionais, escolares e promocionais. TA qualidade profissional. Av. Leopoldino de Oliveira, 2084. Telefone: 3338-3050. Faça-nos uma visita.

 


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia