JM Online

Jornal da Manhã 50 anos

Uberaba, 13 de agosto de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 28/07/2022



Suplente não tem função, diz Piau

Às vésperas da convenção estadual do MDB, o ex-prefeito Paulo Piau reafirma sua intenção de disputar as eleições para o Senado. Esta semana, em entrevista ao programa O Pingo do Jota, Piau descartou totalmente a possibilidade de ser suplente do deputado Marcelo Aro, já confirmado pré-candidato a senador na chapa do governador Romeu Zema. "Suplente não tem função. Posso contribuir mais para Minas Gerais e o país" - ressalta Piau. “Me sinto treinado e preparado”, completou, comparando seu caso ao de pesquisadores que passam anos se especializando. “Acho um desperdício ver esses pesquisadores se aposentarem e comprarem um sítio, desperdiçando todo o conhecimento adquirido ao longo da vida” - diz. E vai além: “em qualquer outra instância eu não seria novidade, mas no Senado, sim. Essa é a minha motivação”.
Convenção do MDB será neste sábado, em BH.

VIRANDO O JOGO
“Não faz o menor sentido essa especulação sobre eu vir a ser o vice do governador Romeu Zema. Seriam dois candidatos do Triângulo Mineiro, da mesma região, de cidades distantes 100 km uma da outra. Essa hipótese está totalmente descartada” - rebate Piau, sobre eventual indicação de seu nome pelo MDB para compor a chapa de Zema à reeleição.

CONTRA O ABANDONO
Por outro lado, Piau avalia que o interior está muito abandonado politicamente. “O Triângulo já teve o dobro de deputados” - frisa o ex-prefeito, defendendo a necessidade de distribuição do poder político entre a capital e o interior.

RENOVAÇÃO NECESSÁRIA
A propósito, em entrevista ao programa O Pingo do Jota, Piau descartou sua intenção de voltar a disputar o cargo de prefeito em 2024. “Prefiro a renovação. Precisamos motivar as pessoas a participarem da política” - sentenciou.

FORA DO JOGO
Ex-presidente da Fiemg Regional, o empresário José Arlênio Veneziano está fora da disputa por cadeira na Assembleia Legislativa de Minas. O zunzunzum a respeito de sua desistência estava ruidoso desde o fim de semana, conforme noticiado aqui na edição de ontem. Mas só hoje a decisão foi oficializada, por meio de nota, que foi divulgada em primeira mão pelo programa O Pingo do Jota, da Rádio JM.

PRIMEIRO UBERABA
Na nota divulgada por Zé Arlênio, ele justifica que seu grupo político vinha se reunindo periodicamente para avaliar o cenário eleitoral. “Depois de criteriosa análise, neste momento em que se afunilam as decisões para o pleito de 2022, optamos por retirar minha pré-candidatura a deputado estadual” - diz a nota. Vai além, argumentando, com muita lucidez, que “o grupo entende que a pulverização dos votos poderá prejudicar Uberaba”. E, por último, Zé Arlênio afirma que vai continuar filiado ao Democrata Cristão, e trabalhando pelo desenvolvimento de Uberaba.

COMO FICA
Com a desistência de Zé Arlênio, a prefeita Elisa Araújo se livra do desgaste de eventual insucesso eleitoral de seu candidato a deputado estadual nas urnas. E, de quebra, fica livre para apoiar outro candidato (ou nenhum) a deputado estadual.

ADEUS ÀS ELEIÇÕES
Quem também deu adeus ao sonho de disputar as eleições de outubro foi o líder ruralista Romeu Borges Júnior. Segundo ele, alguns motivos de ordem pessoal estavam dificultando sua pré-campanha, incluindo os negócios particulares. Assim, Romeu optou por priorizar suas próprias atividades neste momento.

UNS VÃO, OUTROS VÊM
Quando se pensa que o funil eleitoral vai reduzir o número de candidatos a deputado por Uberaba, surgem outros nomes para a disputa. É o caso da vereadora Denise Max, que vai mais uma vez fazer dobradinha com o deputado forasteiro Fred Costa. Segundo comentários de bastidores, a pré-candidatura de Denise foi imposta pelo partido.

NA PENEIRA




Continua depois da publicidade


Por enquanto, se não surgir mais nenhuma surpresa, a Câmara Municipal terá quatro vereadores disputando eleições este ano: o presidente Ismar Marão, Samuel Pereira, Rochele Bazaga e Denise Max.

QUADRO ATUAL
Se não houver mais desistência, nem novidade, a disputa por cadeira na Câmara dos Deputados deve ter Anderson Adauto, Aelton Freitas, Antônio Lerin, Bruno Massa (você conhece?), Ellen Miziara, Franco Cartafina, Ismar Marão, Jacob Estevan, Zé Silva, Márcia Pinheiro, Paulo Leonardo, Renato Cartafina (tio de Franco), Richard Maciel.
Fora os deputados forasteiros que virão buscar votos aqui, como Zé Vitor, nome fortíssimo entre produtores rurais.
É muita gente para pouco voto e, com isso, Uberaba corre sério risco de reduzir sua representação na esfera federal…

QUEM É QUEM
Na corrida por vaga na Assembleia de Minas, o excesso de candidatos também chama a atenção. Na disputa estão nomes que tentaram cadeira na Câmara Municipal, sem sucesso, e outros que já haviam sido “aposentados” pelos eleitores. O quadro de candidatos a deputado estadual, hoje, é o seguinte: Adelmo Carneiro, Samira Oliveira, Daniel Angotti, Denise Max, Heli Andrade (Grilo), Zé Renato Gomes, Kênia Borges, Ildeu Menezes, Renato Tiveron, Rochele Bazaga, Samuel Pereira, Thiago Mariscal e Tony Carlos.
Será que faltou alguém nessa lista? Quem você excluiria, por absoluta falta de condições de se eleger ou de representar Uberaba à altura?

TEM DIFERENÇA
Justiça seja feita: o Sine que colocou apenas 3 candidatos no mercado de trabalho de Uberaba foi o estadual. O Sine municipal tem números infinitamente melhores. Vamos lá: para as 3.543 vagas ofertadas até julho, o Sine municipal encaminhou 7.578 candidatos. Porém, apenas 339 foram aprovados e conseguiram vagas.
No ano passado, o aproveitamento foi um pouco melhor em termos percentuais: dos 7.280 candidatos encaminhados, 633 foram colocados. Mas esses números se referem aos 12 meses de 2021. Ou seja, ainda é possível que 2022 supere os resultados anteriores, segundo avaliação da superintendente de micro e pequenas empresas da Sedec, Eli Foscarini.

TENDÊNCIAS
Ainda sobre o Sine, Carolina Ribeiro revela que estãos sendo abertas 25 novas MEIs (microempresas individuais) por dia, o que significa a pejotização de trabalhadores autônomos, especialmente prestadores de serviços, Aliás, Carolina conta que há uma tendência nítida das empresas em contratar MEIs para prestar serviços para os quais, antes, eram contratados trabalhadores. Isso significa que o emprego está deixando de ser uma prioridade para as pessoas.

QUALIFICAÇÃO
A julgar pelas análises feitas por Carolina Ribeiro e Eli Foscarini, o desemprego em Uberaba é relativo. Há vagas, assim como oferta de cursos de (re)qualificação profissional. O que falta, às vezes, é interesse em enfrentar desafios. Pra se ter uma ideia, há 600 vagas no Senac para cursos profissionalizantes gratuitos, mas dificuldade para preenchimento dessas vagas. São oferecidos cursos de consultoria de imagem, atendente de farmácia, gerência, programador web,dentre outros. Não é só: o programa de Formação Inicial Continuada, promovido pelo Estado nas escolas Quintiliano Jardim e Boulanger Pucci, enfrentou dificuldade para preencher as 45 vagas ofertadas para o curso de controle e análise de qualidade, profissão que encontra contratação imediata. E olha que nesse caso o aluno ganha bolsa de R$ 1.200, além de lanche. E o Sine teve um trabalhão para conseguir interessados e ajudar a preencher essas vagas. Pois é...

 


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar