JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 26 de fevereiro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 22/02/2021


Continua depois da publicidade


Toque de recolher e seca em Uberlândia deixam Uberaba com as "barbas de molho"

Toque de recolher e lei seca em Uberlândia acendem a luz amarela para Uberaba, no enfrentamento à pandemia. Na tarde desta segunda-feira, o prefeito Odelmo Leão lamentou o recorde de mortes  causadas por coronavírus registrado em um único boletim epidemiológico, totalizando 19 vidas perdidas e 301 casos confirmados. Diante desse quadro, o prefeito anunciou medidas mais severas para tentar conter o avanço dos casos de Covid-19 na cidade vizinha. Com a rede hospitalar colapsada, não restou alternativa,  senão instalar a toque de caixa um Hospital de Campanha. Não bastasse, um outro problema igualmente preocupante motivou a adoção dessas medidas: de acordo com o prefeito, o fornecedor de oxigênio da Prefeitura não tem tanques disponíveis para a venda, já que o consumo cresceu absurdamente na cidade vizinha. O toque de recolher vale a partir das 20h até as 5h, e a venda de  bebidas alcoólicas será proibida, durante todo o dia, enquanto durar o decreto. Até o transporte coletivo vai ter que parar às 20h, podendo funcionar apenas farmácias depois desse horário. As medidas começam a valer nesta terça-feira, por uma semana ou até que a situação melhore. 

O PLANEJAMENTO

Segundo o prefeito Odelmo, o Hospital de Campanha de Uberlândia será montado para atender pacientes não-Covid que estão internados em Unidades de Pronto Atendimento. Números mostram que 391 pacientes estavam na fila por um leito, nesta segunda-feira. Uma situação terrivelmente dramática, que justifica a adaptação de espaços como anfiteatro e sala de administrativo do Hospital Municipal para funcionarem como leitos. Aliás, ontem Uberlândia começou a transferir pacientes de Covid para outros municípios, dentre os quais Alfenas, do outro lado do Estado. 

BASTA!

Vereador  Túlio Micheli manifestou sua “profunda preocupação com a situação da Covid-19 na nossa cidade” através de ofício à prefeita Elisa Araújo. Pediu que Uberaba reserve seus leitos hospitalares apenas para os próprios pacientes atendidos pelo SUS, pelo menos nesta fase mais crítica da pandemia, e informe “à Secretaria de Estado de Saúde sobre a incapacidade do nosso Município em continuar recebendo pacientes de outras macrorregiões do Estado”. Túlio entende que a vinda constante de dezenas de pacientes de Coromandel, Uberlândia e Patos de Minas, além dos manauaras, “pode comprometer de tal forma nosso sistema de saúde local, que será inevitável o colapso das unidades de saúde locais”.

CADA UM NA SUA

No ofício, o vereador ainda ressalta: “Uberaba não pode, pura e simplesmente, permitir que as portas da cidade sigam abertas para atender o despreparo do Governo do Estado que, inclusive, tem saldo devedor gritante com nosso município. Deveria o senhor governador Romeu Zema ter repensado antes de fechar um hospital de campanha que consumiu 2 milhões de reais dos cofres públicos e nunca fora utilizado. Que o Estado faça investimentos em regiões afetadas, que o Estado reabra então o Hospital de Campanha e possibilite novas transferências, que o Estado credencie e habilite novos leitos, se responsabilizando por eles, e não os municípios”. 

APONTANDO O DEDO

Por falar em transferência de pacientes para o Hospital Regional, Uberaba tem sido acusada pela vizinhança de trazer para a região a variante do coronavírus, por ter recebido os pacientes manauaras aqui. Em Uberlândia, inclusive, assessores da Prefeitura já postaram insinuações de que a variante do coronavírus chegou lá, porque a cidade está a 100km de Uberaba. Francamente! 

MERA SUPOSIÇÃO

Em nota, a Secretaria municipal de Saúde informou agora à noite que não há confirmação de que a nova cepa P1 esteja circulando em qualquer cidade mineira, conforme já frisado pelo governo de Minas. “Doze estados da federação já anunciaram casos da nova cepa, inclusive São Paulo, que faz divisa com Minas Gerais e se liga por meio de uma das principais rodovias do país, a BR 050, que corta diversas cidades mineiras, inclusive Uberaba e Uberlândia” - diz a nota, que ainda frisa que os manauaras ficaram totalmente isolados no Hospital Regional. Além disso, a nota ressalta que os quatro profissionais de saúde do HR que testaram positivo para Covid e mantiveram contato com os pacientes de Manaus tiveram material colhido para exame, ainda sem resultado, mas foram mantidos em isolamento. 

Um fato é certo: se for mesmo comprovada a circulação da nova cepa do coronavírus em Uberlândia, não será possível garantir que foi levada de Uberaba. Pelo contrário. Basta lembrar que Uberlândia sempre se gabou de ter um aeroporto com multiplicidade de voos para todo o país, além das ligações rodoviárias. 

NOVO DECRETO

Ainda não há definição alguma sobre os termos do próximo decreto de enfrentamento à pandemia em Uberaba. Foi o que afirmou a prefeita Elisa Araújo, em entrevista ao programa O Pingo do Jota desta segunda-feira. Elisa voltou a demonstrar grande preocupação com a sobrevivência do setor produtivo na cidade, mas garantiu que se for preciso tomar medidas duras para conter o aumento dos casos de coronavírus ela tomará. 




Continua depois da publicidade


VAI FLEXIBILIZAR?

A prefeita, porém, disse que a flexibilização de uma ou outra medida do Decreto 222 só será possível depois de análise criteriosa dos números e das projeções da Covid nas últimas duas semanas. Fez um parêntese para dizer que muitos bares e restaurantes estavam cumprindo as regras sanitárias e estão sendo prejudicados por aqueles que tiveram comportamento oposto. Por isso, ela não descarta novas medidas para corrigir algumas distorções, incluindo aí o lockdown enfrentado pelos buffets. Uma das hipóteses em estudo é permitir a realização de eventos para 20 ou 30 pessoas, segundo a prefeita.  

EM ORAÇÃO

Em que pese o respeito devido à comunidade evangélica em Uberaba, nada justifica a presença de 300 pessoas, ou mais, nos cultos realizados neste fim de semana em algumas igrejas. Se os buffets não podem trabalhar e fazer eventos para 20 ou 30 pessoas, por que as igrejas podem juntar 100, 200, 300 pessoas ou mais em celebrações religiosas? Definitivamente não consigo entender essa disparidade. 

SURPRESAS!

Voltando à entrevista da prefeita Elisa à Rádio JM,  chamou a atenção a revelação que ela fez de ter se surpreendido ao constatar mais de R$ 5 milhões de contas engavetadas, que não haviam sido empenhadas pelo governo Paulo Piau.  Disse que o passivo trabalhista do Município é assombroso, sendo que há mais de 40 mil férias prêmio pendentes, mais de 50 mil horas extras de vigias à espera de pagamento, mais de R$ 5 milhões de repasses atrasados ao IPSERV, entre os meses de setembro e dezembro de 2020. Sem contar os R$ 12 milhões devidos a fornecedores diversos. 

FILA DE ESPERA

Elisa revelou que esta foi a motivação do decreto que suspendeu os pagamentos a fornecedores, até verificar se os serviços foram efetivamente prestados . Por isso, débitos de até R$ 30 mil estão sendo quitados, porque ela entende que esses credores são empresas menores e, portanto, têm um fôlego financeiro mais curto. Os demais terão de esperar. A maioria dos credores grandes é formada por empreiteiras.

O OUTRO LADO

Fontes ligadas ao governo anterior acreditam que esteja havendo algum engano na interpretação das informações que causaram surpresa à prefeita Elisa. “Despesas de exercício anterior são normais na administração pública.  Ou seja, são despesas não realizadas em tempo oportuno e que devem ser reconhecidas” - disse um ex-secretário questionado pela coluna.  Por outro lado, ele lembra que em dezembro o município efetuou pagamento da folha salarial dos servidores, sem comprometer o caixa da Prefeitura em janeiro. Já o passivo trabalhista pode ser decorrente de rescisões contratuais de servidores e aposentados ou desligados em dezembro, que ficaram para pagamento em janeiro. 

PODE OU NÃO PODE?

Já os pagamento de férias prêmio aos servidores, segundo apurou a coluna, vêm sendo rolados de um governo para o outro, constantemente. Há quem entenda que a lei já não permite pagamento das férias prêmio em espécie. 

CELSO NETO

Imbróglio envolvendo demissão de assessora parlamentar do gabinete do vereador Celso Neto, depois de participar de uma festa mostrada em redes sociais, acabou colocando o edil de saia justa. Imediatamente ao anúncio feito por Celso Neto foram postadas fotos dele participando de reunião com vários representantes da Nutriplus, na qual ele não usava máscara facial. Pois é. Atitude igualmente contrária às regras sanitárias...

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia