JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 26 de fevereiro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 18/02/2021


Continua depois da publicidade


Villefort Atacarejo vai ocupar o prédio do Big em Uberaba

NOVO ATACAREJO 

Ao ler nesta coluna a notícia do comunicado oficial de fechamento do Big em Uberaba, o secretário de Desenvolvimento Econômico, Rui Ramos, fez contato com Carlos Ely, diretor de Relações Institucionais no Grupo Big, que confirmou também a vinda do Villefort para Uberaba. Esse atacarejo com base em BH tem lojas em 23 cidades mineiras e 1 em Jataí, Goiás. “De acordo com o diretor do Big, já está sendo alinhado com o novo grupo a manutenção dos empregos”, revelou Rui Ramos.  

PRA DEPOIS

Não terá decreto novo contra o Covid neste fim de semana. O próximo deve ser publicado somente na semana que vem, já que o 222 entrou em vigor no dia 10, com validade de 15 dias. Isso significa que o comércio fechará as portas hoje às 18h para reabri-las na segunda-feira. Sábado e domingo fica tudo fechado, exceto supermercados, padarias, varejões, farmácias e outros segmentos ditos essenciais.  Mesmo assim, com limitação de horário.

PROVA DOS 9

Empresários do setor de bares, restaurantes e similares decidiram não brigar para reabrirem as portas neste fim de semana, nem depois das 21h. Vão aguardar os 15 dias de vigência do decreto 222 para ver se o número de casos novos vai cair ou não. Se não cair, ficará provado que a culpa pela aceleração da pandemia aqui não é dos barzinhos e restaurantes.

EM ALTA

Ao que tudo indica, os empresários de bares e restaurantes terão argumentos de sobra para a defesa do setor. A julgar pelos números de novos casos confirmados ontem (134) e hoje (156), até agora as medidas restritivas do decreto 222 não surtiram efeito no enfrentamento à pandemia. Aliás, não será surpresa se a média de casos da Covid em fevereiro for maior do que a de janeiro...

OH, SENHOR

Vereador Pastor Eloísio se deu mal com postagem em redes sociais, em que dizia “Haveria alguma coisa impossível para o Senhor Deus?” A resposta veio de imediato: “Enfiar na cabeça dos Pastores que reunir fiéis nesta hora de pandemia está uma tarefa muito difícil até o Senhor Deus” - disparou Ricardo Teles, que foi candidato a vereador nas eleições de 2020.

VACINAÇÃO AVANÇA

Vacinação de idosos em Uberaba avança mais um pouquinho e hoje os idosos com 87 anos ou mais poderão tomar a primeira dose da vacina em dois drive-thrus montados pela Prefeitura. Um deles será na ABCZ e o outro no antigo Cemea Abadia. Vacinação terá início às 8h, encerrando-se às 16h. Atenção: somente serão vacinados os idosos que estiverem portando documento de identidade com foto e comprovante de residência.

PROMESSA CUMPRIDA




Continua depois da publicidade


Durante a semana a secretária adjunta Fabiana Prado havia adiantado em entrevista à Rádio JM que havia um remanescente de cerca de duas mil vacinas e possivelmente mais um grupo de idosos poderia ser convidado. Se sobrar vacina também nessa faixa etária, outras poderão ser contempladas, como, por exemplo, os idosos com idade entre 85 e 87 anos. Tudo vai depender do aproveitamento das doses hoje.

PERIGO NENHUM

Em entrevista ao programa O Pingo do Jota desta quinta-feira, o médico Raelson Batista descartou por completo a correlação entre a vinda dos pacientes manauaras com a nova cepa do coronavírus e o aumento dos casos da doença em Uberaba. Segundo ele, em dezembro já havia a projeção desse crescimento pós-festas de fim de ano. E, por outro lado, os protocolos de segurança para o traslado dos pacientes até o Hospital Regional foram muito rigorosos. Todos os outros pacientes foram transferidos para outros hospitais, liberando o Regional apenas para receber os manauaras. E assim mesmo eles foram acomodados numa ala isolada, com reforço na segurança sanitária.

CONTROLE RIGOROSO

Por outro lado, o ex-diretor de regulação de leitos da Secretaria de Saúde alerta para a necessidade de Uberaba manter um controle rigoroso sobre os casos ativos de Covid e, principalmente, redobrar a vigilância epidemiológica nesse momento em que os números da pandemia estão muito altos.  O médico Raelson Batista chama a atenção para o fato que  atualmente  mais jovens estão sendo infectados, assim como os pacientes estão demorando mais tempo para se recuperar. Sem um controle efetivo e conscientização das pessoas, podemos ampliar para 200 mil leitos hospitalares na cidade que não serão suficientes.

QUE PREJU!

Vão custar cerca de 150 mil reais as obras de reparos no R11. Previsão é do presidente da Codau, José Waldir de Souza Filho. Segundo ele, o prejuízo decorre de negligência da Codau, que não se preocupou em fazer a manutenção rotineira dos poços profundos. Para evitar novos problemas semelhantes, a companhia programa  manutenções preventivas em todo o sistema, o que deve acontecer no inverno, porque é o período em que a população consome menos água.

PARADINHA DA SILVA

Obra da represa da Prainha  continua paradinha da silva, passando por avaliação da sua conveniência e provável adequação dos projetos. Mas não está descartada a possibilidade desse projeto ser abortado. É o que diz o presidente Jose Waldir. Por enquanto, a ideia é rever o projeto inicial para conseguir aproveitar os recursos previstos para financiá-lo e incluir também a retomada da obra de captação de água no Rio Claro. Os custos, neste caso, estão sendo levantados ainda.

PELO RALO

Por outro lado, o presidente da Codau avalia que de nada adiantam esses investimentos para garantir o abastecimento à população, se não houver uma ação efetiva de combate ao desperdício de água. Essa é uma meta prioritária da sua gestão.  

ARMA SIM

Toda pessoa de bem precisa de uma arma para se defender. Opinião é do deputado estadual Heli Grilo, manifestada à Rádio JM esta semana. Mas apenas uma, e desde que o cidadão passe por avaliação psicológica e curso preparatório para manuseio da arma.  Na avaliação do parlamentar, o Estado não dá conta de garantir a segurança de todos. Assim, dando o direito ao cidadão de se defender e de escolher a arma, o Estado alivia sua carga de responsabilidade, podendo se dedicar melhor à segurança dos menos favorecidos. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia