JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 26 de fevereiro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Lídia Prata ALTERNATIVA 15/02/2021


Continua depois da publicidade


Fiscalização age rápido e evita feijoada de Carnaval nesta segunda

Fiscalização da PMU andou rápido e conseguiu evitar evento no bar Melanina, programado para acontecer nesta segunda-feira, com direito a show de pagode. “Na conversa séria vamos conseguindo evitar focos de aglomeração” - destacou o vice-prefeito Moacyr Lopes, que tem acompanhado de perto essas ações desde a publicação do Decreto 222. 

SEM TRÉGUA

Segundo a avaliação de Moacyr Lopes,  “o final de semana foi tranquilo, com poucas ocorrências, pois os estabelecimentos cumpriram o que prometeram. Fechamos a Univerdecidade e hoje (segunda-feira) evitamos aglomeração no bar Melanina e assim vai ser”. Vale destacar que durante toda a manhã desta segunda-feira e no horário previsto para realização da feijoada do Melanina uma viatura da Fiscalização ficou postada em frente ao bar, para garantir o cumprimento da medida. E assim vai ser. Aliás, tem sido, como se viu com outro conhecido bar, que andou oferecendo chopp grátis aos clientes em protesto contra o sangramento dos bares e restaurantes. Fiscalização está “marcando em cima”.

FDS EM NÚMEROS

Segundo o chefe de Fiscalização de Posturas da Prefeitura, Renê Inácio, entre as 17h de sexta-feira e a noite deste domingo foram registradas 12 autuações por descumprimento das regras de funcionamento ditadas pelo Decreto 222. A maioria dessas ocorrências esteve relacionada a festas ditas “familiares”, porém em locais comerciais, chácaras, sítios e até casa de eventos. A que teve menos gente aglomerada registrou público de 30 pessoas. Todas as festas foram encerradas graças à ação da Fiscalização.

NÃO PODE

A propósito, Renê Inácio orienta os donos de bares e restaurantes que estão funcionando pelo sistema de drive-thru a não colocarem cones, faixas, cavaletes ou similares para delimitar o espaço dos veículos na rua. Essa demarcação não é permitida, assim como é proibida a venda de produtos por esse sistema de drive-thru a clientes que chegam a pé no estabelecimento.

FECHE A PORTA!

Lojas de materiais de construção deram trabalho à Fiscalização no sábado, pela manhã. Com base em liminar concedida pela Justiça quando editado o primeiro decreto de lockdown em Uberaba, no ano passado, os lojistas do setor insistiam na validade daquela medida também frente ao novo Decreto. Foi preciso muita saliva para convencê-los de que a liminar valeu para o momento pretérito, apenas. Resultado: tiveram de fechar as portas, como todos os demais estabelecimentos comerciais. 

BATE PRONTO

Point de aglomerações frequentes, posto da avenida Nenê Sabino desta vez foi surpreendido por ação da Polícia Militar, que montou uma base operacional ali. Esquema funcionou que foi uma beleza. Vizinhos contam que nunca tiveram um fim de semana tão tranquilo quanto este! Aleluia!

TSUNAMI

Essa segunda onda da Covid-19 em Uberaba chegou como um tsunami. Na avaliação do vice-prefeito Moacyr Lopes, a situação exige medidas duras contra as aglomerações. Ou contra as tentativas de aglomeração. “No pico da doença, em setembro do ano passado, eram 450 casos ativos e cerca de 80 casos novos por dia. Hoje temos 1.477 casos ativos, 1.411 em atendimento domiciliar e 66 em hospitais, ou seja, mais do que o triplo dos casos de setembro. As pessoas estão ficando mais tempo internadas. Nossa média móvel está em 110 casos por dia. Por tudo isso, não é hora de aglomerar” - adverte o vice-prefeito, coberto de razão.




Continua depois da publicidade


SINAL DE ALERTA

Diretor do Hospital Regional, Diego Amad, também alerta que os casos de Covid atualmente estão demandando mais tempo de internação dos pacientes, o que é altamente preocupante, porque há menor rotatividade na utilização dos leitos hospitalares. Na manhã desta segunda-feira houve uma queda pontual na taxa de ocupação dos leitos no Hospital Regional, mas esse fato é comum, em virtude das altas hospitalares nos fins de semana. Durante a semana os números tendem a aumentar, segundo o diretor do HR. No entanto, a semana começou com 37 pacientes de Covid-19 internados na enfermaria, que conta com 105 vagas, e outros 15 pacientes na UTI. Vale destacar que o Regional dispõe de 40 leitos de UTI exclusivos para Covid. Todos para pacientes do SUS. Já na rede particular, que inclui o Hospital São Domingos e o Mário Palmério, no fim de semana a taxa de ocupação dos leitos de UTI passou de 90% outra vez.

PIOR DAS PIORES

Ainda segundo o diretor do Hospital Regional, a semana passada foi a pior de todos os tempos, com o registro de 12 óbitos apenas naquele hospital.   

CEPA NOVA

Confirmado nesta segunda-feira o que já se presumia. A Secretaria de Estado da Saúde confirmou que foi identificada a presença da nova variante do coronavírus denominada P1 em seis pacientes vindos de Manaus para internação hospitalar em Uberaba. Diz a nota da SES-MG: “Essa variante P1 é derivada de uma das variantes predominantes no Brasil, conhecida por B.1.1.28. A nova linhagem contém uma composição única de mutações, que ocorrem principalmente na proteína spike, responsável pela entrada do vírus nas células humanas.”

POR TERRA OU POR AR

É só uma questão de tempo para a circulação dessa variante ser confirmada oficialmente em Uberaba. Já foi confirmada em Franca/SP, que fica pertinho de Rifaina/Jaguara, para onde frequentemente convergem uberabenses, inclusive neste carnaval.

SUSPEITAS CONFIRMADAS

Desde a chegada dos manauaras a Uberaba, no final de janeiro, já se suspeitava da infecção desses pacientes pela nova variante do coronavírus. Segundo Diego Amad, pontualmente as equipes médicas do Hospital Regional observaram algumas diferenças entre os casos comuns que eram tratados na região e os que vieram de Manaus. Uma delas foi a evolução mais rápida da doença para agravamento. Alguns deles chegaram aqui com 70% a 90% de comprometimento pulmonar e evoluíram muito rapidamente para óbito.

PONTO PARA ZEMA

Regulação de leitos hospitalares em Uberaba está a um passo de voltar a ser feita pelo Estado. No governo passado, o então secretário de Saúde, Iraci Neto, bateu o pé e conseguiu manter essa regulação com o município, priorizando o atendimento aos pacientes de Uberaba. Desde março do ano passado Uberaba utiliza o Sistema Nacional de Regulação, conhecido por Sisreg, do Ministério da Saúde. Já as outras 26 cidades da região adotam o software de regulação do Estado, o SUS-Fácil-MG. Pois bem. Durante reunião realizada nesta segunda-feira, a presidente  do conselho dos secretários de saúde da região e secretária de Saúde de Conceição das Alagoas defendeu a uniformização dos sistemas, argumentando que essa falta de integração dificulta a transferência de pacientes das outras cidades para Uberaba. Aí vem a pergunta: qual a participação de Conceição das Alagoas no custeio mensal do Hospital Regional? Se Uberaba ceder à pressão dos vizinhos, os pacientes daqui poderão ser prejudicados? Uberaba vai continuar bancando os custos de internação de pacientes de municípios que em nada colaboram com a manutenção do nosso HR? Será que em time que está dando bons resultados devemos mexer para agradar à vizinhança?    

VAI MUDAR?

Empresários dos setores de bares e restaurantes se reúnem hoje à noite para formatar uma proposta de revisão do Decreto 222, que restringiu o horário e os dias de abertura das empresas do setor. Segundo o presidente Fred Masson, em entrevista ao programa O Pingo do Jota desta segunda-feira, uma das propostas poderá ser trocar o fechamento aos sábados e domingos por segunda e terça. Essa troca foi feita pelas igrejas, para celebração dos cultos aos sábados e domingos, e acatado pela prefeita Elisa. Outra proposta pode ser o rodízio, com empresas abrindo apenas até as 18h, e outros funcionando das 18 à meia-noite. O importante, segundo Masson, é que os estabelecimentos possam trabalhar, ainda que minimamente, já neste fim de semana. 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia