JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 19 de outubro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Joanna Prata AGRO EM DIA 05/07/2021


Continua depois da publicidade


Quem quer pão? Começa a colheita das lavouras de trigo cerrado em Uberaba

A partir da primeira quinzena de julho terá início a colheita das lavouras do trigo cerrado em Uberaba. As variedades desenvolvidas pela unidade local da Embrapa, além de resistentes ao clima seco, têm proporcionado grãos de qualidade e com grande aceitação no mercado da panificação.

De acordo com o secretário municipal do Agronegócio, José Geraldo Borges Celani, os números da área plantada ainda não foram totalmente fechados pelo Conselho Gestor de Previsão de Safra, restando um ou outro produtor. “Porém, até o momento, já foi confirmado um total de 5.198 hectares de área plantada de trigo no Município, sendo 4.050 hectares com trigo sequeiro e 1.148 hectares com trigo irrigado”, relatou, acrescentando que a produtividade estimada pelo conselho é de 5.100 quilos de grãos para o irrigado e, em torno de 2 mil quilos para o trigo sequeiro. 

Embora os números ainda possam subir, Celani ressaltou que a área plantada de trigo em 2021, computada até o momento, já supera em quase mil hectares as lavouras de 2020, que chegaram a 4.300 hectares. “O crescimento é de mais de 20%”, comemorou.

Para Vanoli Fronza, pesquisador e melhorista responsável pelo Núcleo Avançado de Trigo Tropical da Embrapa, instalado desde 2012 em Uberaba, através de parceria entre a Epamig e Governo Municipal, as pesquisas têm tudo a ver com este avanço da cultura no Município. Além disso, Vanoli salienta que a principal demanda dos moinhos é a panificação, o núcleo e os parceiros passaram a desenvolver grãos que atendessem este interesse. “Assim, hoje, produzimos um trigo cujas características genéticas do glúten, aliadas ao clima seco do cerrado, vêm de encontro às exigências da indústria do pão,” explicou o pesquisador da Embrapa, ressaltando que o nosso trigo não deixa nada a desejar para o trigo importado. Pelo contrário: é ainda melhor.

E pra plantar é preciso o preparo do solo 

Nos seis primeiros meses deste ano, as máquinas da Secretaria de Agronegócio de Uberaba trabalharam 1.051 horas. As máquinas eram usadas principalmente para o suporte do pequeno produtor que não dispõe do equipamento e que dificilmente teria condições de alugar com particular.Os serviços são coordenados pelo Departamento de Produção Agropecuária e executados pela Patrulha Rural da Sagri. De acordo com o diretor da pasta, Raoni Terra, de 4 de janeiro a 30 de junho, foram mais de 100 produtores atendidos. Outros 341 produtores receberam assistência técnica pela secretaria, através de agrônomos e de zootecnistas.

Segundo Raoni, dentre os serviços com tratores, a predominância é para o preparo de solo, seja com arados, grades e sulcadores, além de distribuidores de calcário e adubo. Mas há trabalhos também, acrescentou, para montagem de canteiros, roçados em pastagens, compactação de silos e distribuição de sementes.  

Para ser beneficiado com o serviço, Raoni Terra informou que o interessado deve procurar a Secretaria do Agronegócio, em razão da pandemia, por telefone mesmo, fazer o cadastro e agendar a prestação de serviço em sua propriedade. Na ocasião, salientou o diretor, o agricultor deverá efetuar a contribuição que varia de acordo com a potência do trator, atualmente no valor de R$50,00 a hora trabalhada do trator menor e R$75,00 do maior. 




Continua depois da publicidade


E para preparar o solo, plantar e colher é preciso financiar! 

No primeiro semestre de 2021, a inadimplência no crédito rural ficou abaixo de 2% nas operações de custeio contratadas por meio da Emater-MG, empresa vinculada à Secretaria de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), pelo sistema de Correspondente Agropecuário do Banco do Brasil (Coban). A informação é do Coordenador Estadual de Crédito Rural da Emater-MG, José Henrique Barbosa.

Para o coordenador de crédito rural da Emater-MG, o Plano Safra 2021/2022, que ampliou em 19% os recursos para o Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura Familiar (Pronaf), atende o aumento da demanda por crédito neste segmento. Neste próximo ano-safra, serão destinados R$39,34 bilhões para o financiamento pelo Pronaf.

De acordo com Barbosa, tradicionalmente, o Pronaf tem muita demanda por recursos para investimento, pois muitas vezes os agricultores familiares ainda estão estruturando suas propriedades, fazendo melhorias no processo produtivo. E o bom momento do agronegócio, com remuneração atraente, tem estimulado mais investimentos. Apesar do aumento nas taxas de juros, que no Plano Safra 2021/2022 ficaram entre 3% e 4,5% para o Pronaf, não deve haver impacto significativo no custo dos produtores, pois as taxas ainda estão bem abaixo das praticadas para outras formas de crédito.

Fica a dica

O uso racional da água se tornou ainda mais importante neste momento em que o Brasil enfrenta a mais grave crise hídrica das últimas décadas. No mês de maio, a Emater-MG fez a entrega de 12 kits de irrigação por gotejamento em Patis, no Norte de Minas. Os equipamentos foram adquiridos com recursos do Programa Irriga Minas, que busca assegurar a produção de pequenas propriedades com um melhor aproveitamento da água.

O Irriga Minas é fruto de um convênio entre o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento(Mapa) e a Secretaria de Estadual de Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Seapa), que tem a Emater-MG, instituição vinculada à secretaria, como responsável pela execução nos municípios beneficiados. A ação visa à aplicação de tecnologias de irrigação por gotejamento em áreas de 500 m². Fica aí a ideia para os representantes do setor em Uberaba, como a Secretária de Agronegócio (Sagri) e o Sindicato dos Produtores Rurais de Uberaba (SRU) articularem junto à Emater para que o município seja contemplado pelo programa Irriga Minas. As lavouras do município têm sofrido com a seca, conforme noticiado pela coluna

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia