JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 19 de outubro de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Joanna Prata AGRO EM DIA 21/06/2021


Continua depois da publicidade


Falta de chuva causa prejuízo nas lavouras da região de Uberaba

Deu ruim na Safrinha
O Conselho de Previsão de Safra de Uberaba, composto por representantes da Secretaria Municipal do Agronegócio (Sagri), Emater, Epamig, Embrapa e IBGE, votaram na quinta-feira (17) por solicitar à prefeita Elisa Araújo que decrete Situação de Emergência para a Safrinha do Milho. Devido à seca, cerca de 60% da safrinha de milho deste ano foi perdida. Essa medida vai socorrer os produtores que usaram de financiamento para custear o plantio e perderam suas lavouras, já que é previsto em lei que em situações como essa os prazos para quitação do débito podem ser prorrogados. Porém o produtor deve ficar atento às taxas de juros, já que a resolução que foi aprovada pelo Conselho Monetário Nacional (CMN) em 2020 não garante que as prorrogações de prazos de financiamentos sejam feitas com as mesmas taxas de juros originalmente pactuadas entre o produtor e a instituição financeira. A medida deve ser publicada no Porta Voz ainda nesta segunda-feira.

Sorgo
Ainda nesta reunião virtual foi confirmada a área plantada de sorgo no município, que totaliza 26 mil hectares. O sorgo também terá perdas em decorrência da escassez de chuvas, porém, menores, em torno de 20% a 30%. Com isto, a produtividade deve cair de 4.500 quilos por hectare, inicialmente estimados, para 3.600 quilos por hectare.

Trigo Cerrado
Já na lavoura de trigo os números ainda não foram fechados por completo. Até a atual data, os técnicos do Conselho Gestor de Safra apuraram o plantio de 4.050 hectares de trigo sequeiro e 1.148 hectares de trigo irrigado. Porém, segundo Vanoli Fronza, pesquisador da Embrapa Trigo Cerrado, falta computar dados de grupo tradicional no município e que, com certeza, elevará o total de área plantada em Uberaba agora em 2021. A produtividade estimada pelo Conselho Gestor é de 2 mil quilos por hectare para o trigo sequeiro e 5.100 quilos por hectare para o irrigado.

Lavoura de Cana




Continua depois da publicidade


A cana de açúcar, cuja colheita apenas começou, conta com 107 mil hectares de área plantada e 16.600 hectares de cultura em formação. Em razão da falta de chuvas, na época do plantio, a lavoura também irá registrar queda na produção. Este percentual será apresentado nas próximas reuniões do Conselho Gestor de Safra.

Previsões pro inverno
Nesta segunda-feira é o início oficial da estação do inverno. Conforme as previsões do Instituto Nacional de Meteorologia, a estação se caracteriza pela falta de chuva.

Vem aí o Plano Safra 2021/2022
Nesta terça-feira vai ocorrer a cerimônia de lançamento do Plano Safra 2021/2022 às 16h30. O Conselho Monetário Nacional (CMN) se reúne na tarde desta segunda-feira (21) para validar as taxas de juros e as demais condições do plano agrícola e pecuário. O Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) ainda não informou quais recursos serão concedidos pelo governo e destinados aos beneficiários do Programa Nacional de Fortalecimento da Agricultura, o Pronaf. O programa tem como objetivo oferecer financiamento com taxas de juros mais baixas para os pequenos produtores. Atualmente a taxa está em 2,75% e a previsão é que deva subir. O aumento é visto como inevitável, devido o atual momento da economia e atualmente a taxa básica de juros, a Selic está em 4,25%. Quando foi lançado o Plano Safra atual 2020/2021 a taxa estava em 2,25%. E questões como a inflação e a variação do dólar tão influem. Na ala técnica dos ministérios da Economia e Agricultura, o aumento das taxas é dado como certo.

A ministra Tereza Cristina, no início das negociações sobre o Plano Safra 2021/22, já havia solicitado o recurso de R$ 15 bilhões ao Tesouro Nacional para equalizar as taxas de juros. Mas nessa reta final e diante das dificuldades passadas com os produtores, a ministra tenta buscar um acordo junto ao Ministro da Economia, Paulo Guedes, a destinação de R$ 16,4 bilhões.
No início do mês a Comissão de Agricultura da Câmara dos Deputados realizou uma audiência e o diretor de Financiamentos e Informação do Mapa, Wilson Vaz de Araújo anunciou que o valor de R$ 15 bilhões seria capaz de proporcionar apenas um Plano Safra 21/22 no mesmo molde do atual. No plano 20/21, o Tesouro disponibilizou R$ 11,5 bilhões para a equalização dos juros de financiamentos.


** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia