JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de junho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Joanna Prata AGRO EM DIA 19/03/2021


Continua depois da publicidade


Brasil abateu mais de 6 bilhões de frangos em 2020

O Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística, o IBGE, divulgou nesta quinta (18), estudo com dados estatísticos sobre o abate de animais, aquisição de leite e produção de ovos no Brasil em 2020. 

Bovinos 

O abate de bovinos, que vinha tendo alta nos últimos 3 anos em 2020, teve uma queda de 8,5%. Foram abatidos 29,7 milhões de cabeças bovinas sob algum tipo de inspeção sanitária (federal, estadual ou municipal). Foi constatado um crescimento na proporção de machos abatidos em relação às fêmeas, valorização recorde do bezerro e da arroba bovina. Mesmo com a queda do abate, as exportações de carne bovina atingiram um nível inédito em 2020, considerando a série histórica da Secretaria de Comércio Exterior do Ministério da Economia. Mato Grosso segue como Estado líder em abates bovinos no Brasil, com 17,1% da participação nacional.

Suínos

Desde de 2005, o abate de suínos no Brasil segue em alta. No ano passado, o aumento foi de 6,4% em relação ao ano de 2019.  Também foi apresentada uma exportação recorde da carne suína in natura e uma grande valorização do produto. O aumento foi de mais de 3 milhões de cabeças, sendo que em Minas Gerais 275,7 mil a mais foram abatidos. O total de suínos abatidos em 2020 foi o impressionante número de 49,3 milhões de cabeças. O Estado líder em abate suíno é Santa Catarina, responsável por 28,8% da produção nacional.

Frango

Novo recorde foi alcançado pelo setor desde o início da série histórica em 1997. Foram 6 bilhões de frangos abatidos em 2020.  Em comparação com 2019, foram 190,8 milhões a mais de aves abatidas,  dessas, 19,52 milhões foram abatidas em Minas Gerais.  Como não houve aumento nas exportações de carne de frango, pode-se considerar que esse aumento  de 3, 3% foi destinado ao consumo interno . O Estado do Paraná liderou essa categoria.




Continua depois da publicidade


Leite

O setor vem apresentando resultados positivos desde 2017. Os laticínios que atuam sob algum tipo de serviço de inspeção sanitária atingiram 25,5 bilhões de litros de leite em 2020, um aumento de 2,1% em comparação com 2019. O ano foi marcado pelas restrições impostas pelo isolamento social que impactam a demanda de produtos lácteos. Houve também um aumento de custo de produção do setor, juntando isso ao aumento da demanda do produto, decorreu-se uma valorização do leite no mercado. A variação positiva mais considerável aconteceu em Minas Gerais que produziu 224,3 milhões de litros a mais em 2020 do que em 2019. O Estado também é líder na produção leiteira sendo responsável por 25,5% do mercado nacional.

Ovos

A produção de ovos apresentou um aumento de 3% em 2020 em relação a 2019. Atribui-se o aumento pela alta de consumo do produto influenciada pela recessão instaurada pela pandemia de Covid-19, por ter o valor mais acessível o ovo se tornou a principal proteína no prato de muitos brasileiros. Porém o custo de produção sofreu encarecimento impulsionado pelo custo dos componentes da ração de frango.  Minas Gerais se destacou pela queda da produção, foram menos 6,7 milhões de dúzias a menos em 2020 se comparado com 2019. E São Paulo segue na liderança de produção de ovos, responsável por 28,9% da produção do país. 

 

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia