JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 29 de julho de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Joanna Prata AGRO EM DIA 15/07/2021


Continua depois da publicidade


Mister AlCatra: anunciada a aposentadoria do touro que teve mais de 150 mil filhos

Mister AlCatra
Foi anunciada a aposentadoria do touro Truck da Alô Brasil. O animal da raça Nelore está há nove anos em uma central de genética bovina em Uberaba e é líder de vendas, com mais de 344 mil doses de sêmen comercializados. A genética de Truck foi comercializada em todo o continente da América do Sul, além do Panamá e Costa Rica. Inclusive, o atual garrote número 1 no sumário da Associação Nacional de Criadores e Pesquisadores (ANCP) é o Brasil da Beabisa, neto de Truck. Aos 12 anos de idade e com missão cumprida, Truck sairá da central que está em Uberaba e irá viver sua aposentadoria na fazenda. “Ele cumpriu o feito dele, que é na época dele ser um touro multiqualificado, líder em perímetro escrotal e habilidade materna por vários anos e deixando um descendente liderando sumários, esse é o maior papel dele. Podemos dizer que o papel foi cumprido, houve sucessão, isso é importante. Ele vai descansar agora em uma fazenda aqui em Uberaba, só na sombra e água fresca”, disse Fabiano Araújo, um dos três sócios proprietários do touro.

Touro Truck, da Alô Brasil

De grão em grão…
Na semana que passou, a prefeita de Uberaba, Elisa Araújo, e o secretário do Agronegócio, José Geraldo Celani, estiveram reunidos com o deputado federal e engenheiro agrônomo Aelton Freitas para tratar questões referentes ao déficit de armazenagem de grãos em Uberaba. A demanda de aumento de estocagem de grãos já é antiga na classe agrícola. O secretário do Agronegócio lembrou que o déficit de estocagem se trata de um problema nacional. “É uma carência de Uberaba, região e do Brasil todo”, assinalou José Geraldo. A chefe do Executivo solicitou à pasta do Agronegócio um levantamento da capacidade de produção e de armazenamento atual reprimida em números. Elisa disse que vai entrar em contato com a Companhia Nacional de Abastecimento (Conab), para construir uma possível parceria e suprir a demanda. Para os próximos dias é aguardado novas reuniões para tratar do tema.




Continua depois da publicidade


O secretário do Agronegócio, José Geraldo Celani, e a prefeita, Elisa Araújo

Conhecimento leva a boas práticas e melhores resultados
Um estudo publicado na revista científica Royal Society Open Science mostra que o Brasil poderia aumentar em 9,7% o rebanho bovino caso utilize técnicas já existentes de recuperação de pastagens degradadas. Isso significa mais 17,7 milhões de cabeças de gado. Um dos autores do estudo, o economista Rafael Barbieri, foi considerado 12 milhões de hectares de pastagens degradadas reconhecidas pelo Censo Agropecuário nacional, onde os próprios pecuaristas fazem a declaração. Rafael afirma que esse número pode chegar até 100 milhões de hectares, conforme o Laboratório de Processamento de Imagens e Geoprocessamento (Lapig) da Universidade Federal de Goiás (UFG). Foi feito também um cálculo considerando o cumprimento das regras do Código Florestal. Nesse caso o déficit de Áreas de Preservação Permanente (APP) e de Reservas Legais poderiam ser zerados e ainda garantiria um crescimento de 9 milhões de cabeças (4,9% a mais que o atual) e o Brasil atingiria a meta assumidas no Acordo de Paris.

Conhecimento e aprendizado para o produtor
A Empresa de Pesquisa Agropecuária de Minas Gerais (Epamig), em parceria com a Universidade Federal de Viçosa, promove a 91ª Semana do Fazendeiro. São mais de 100 cursos disponíveis sobre bovinocultura, cafeicultura, produção de laticínios, hortaliças, flores comestíveis e processamento de alimentos. Os cursos serão todos na modalidade online. A inscrição é R$ 50,00 e o participante pode se inscrever em até 20 atividades com um único valor. As inscrições podem ser feitas pelo link https://site.semanadofazendeiro.ufv.br/. Vai que ainda dá tempo!

E também com a programação totalmente online iniciou nesta terça-feira (13) o Minas Láctea 2021. O evento é realizado pela Epamig e pela Secretaria de Estado de Agricultura, Pecuária e Abastecimento de Minas Gerais e conta com exposição de máquinas, equipamentos, embalagens e insumos para a indústria laticinista e a exposição de produtos lácteos. A programação científica do Minas Láctea ocorre entre os dias 13 e 15 de julho. O Congresso Nacional de Laticínios terá tema como “O setor de Lácteos na era 4.0: Desafios e perspectivas” e contará com palestras e mesas-redondas ao vivo, realizadas sempre a partir das 18h. Além disso, haverá a apresentação de 20 e-posteres. A Semana do Laticinista contará com nove cursos que também acontecem entre terça e quinta-feira, em diferentes horários. A participação nas atividades será mediante inscrições prévias.

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ.
O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.

Continua depois da publicidade

Leia mais



DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia