JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 05 de dezembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Colunas

Lídia Prata
Renato Abrão RENATO ABRÃO 01/12/2019

Bom dia, leitores do Jornal da Manhã. Na coluna de hoje vou esclarecer algumas ideias que viraram máximas em relação ao câncer de mama e que fazem com que muitas mulheres achem que elas não precisam fazer o exame periódico das mamas.

“NA MINHA FAMÍLIA NÃO TEM RELATO DE CÂNCER DE MAMA”

Talvez essa seja a ideia mais perigosa que muitas mulheres criaram como lema. Isso é um mito! Somente 10% dos casos diagnosticados de câncer de mama a paciente tinha uma história familiar prévia, ou seja, a cada 10 casos novos, só uma tinha algum familiar que já tinha tido a doença.

O que a mulher tem que saber é que se ela tiver algum parente de primeiro grau com câncer de mama antes dos 45 anos, ela tem 5x mais chance de ter a doença, mas isso, no cenário global, se dilui, não sendo o fator principal para o aparecimento da doença na população feminina. Então, nunca use essa frase pra não fazer uma mamografia!

“ESSE CAROÇO SURGIU DEPOIS QUE BATI A MAMA”

Bater a mama não causa câncer! O trauma não é capaz de modificar uma célula e levar ao câncer! Os hematomas e edemas desaparecem, o tumor não. O que se vê, na verdade, é que após bater a mama, a mulher examina a sua mama, e muitas vezes acha um caroço que estava lá antes da batida e que era um tumor de mama.

"NÃO USO DESODORONTE PORQUE ELA CAUSA CÂNCER DE MAMA”

Outro mito! Tudo indica que essa história começou por causa da presença de sais de alumínio nas formulações dos antitranspirantes. Mas a Anvisa assegura que não existe relação entre a substância e o tumor. Parte dessa crença também se deve ao fato de que os desodorantes são aplicados na axila, região próxima ao tecido mamário.

“A HASTE DE METAL DOS BOJOS DO SUTIÃ CAUSAM CANCER DE MAMA”

Outro mito! Não existe nenhum estúdio que comprove essa teoria. Ela segue a mesma linha de raciocínio dos desodorantes, que por estar em contato com a mama causa o câncer. Não existe nenhuma relação.

“MEU MEDICO DIZ QUE ELE JÁ PALPOU MINHAS MAMAS, NÃO PRECISO FAZER MAMOGRAFIA”

O câncer de mama que tem cura é o tumor que não se consegue palpar, que a mulher e o médico não percebem. É claro que é muito importante tanto o autoexame quanto o exame clínico das mamas, ele são ferramentas essenciais para a conscientização corporal e para a detecção de alterações nas mamas. Mas quando queremos diagnostico precoce, com intuito de proporcionar a cura da doença, é a velha e dolorida mamografia que tem esse papel. São os tumores pequenos, só vistos ao exame de mamografia, que se diagnosticados em tempo oportuno vão dar a chance de cura e de realizar tratamentos menos traumáticos a paciente.

Espero que eu tenha ajudado vocês a acabarem com essas falsas ideias que se propagam com tanta certeza na boca das pessoas que viram verdades absolutas.
Um bom domingo a todos e até a próxima!

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia