JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 19 de novembro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Ani e Iná

Evento santo

À medida que o tempo passa, há um mergulho em nossa vida. Uma sucessão de memórias da infância – alegria, energia vibrante, até mesmo uma tristeza vivida, a dor pela perda de um animalzinho – fica fresca em nossa memória. Não é à toa que psicólogos advertem que a maioria de nossos problemas de hoje é decorrente das histórias vividas na infância. O certo é que levamos para nossa vida o essencial dos valores e hábitos adquiridos, como ir à missa e à matinê aos domingos. Isso nos seguiu anos afora. 

Domingo era um dia especial. Vestíamos o nosso traje domingueiro. E juntinhas, iguaizinhas, íamos à missa da Catedral pela manhã e, à tarde, à matinê no Cine Metrópole. Antes da sessão de cinema, casais dançavam no hall. Apesar da nossa tenra idade, era um espetáculo lindo de se ver! Dentro do cinema a ”turminha" de belezuras com toda a energia vital, descoladas e “glamourosas”. Lindas de se ver! Um "show" à parte. E nós, sempre as duas... Ani... Iná... Iná... Ani. Ritual que nos fez bem. Cultura e religião. Fontes de luz!

Os sinos tocam para anunciar o evento! Não é um evento social, é um evento santo! A missa é o sacramento em que se recebe o corpo e o sangue de Cristo sob a matéria do pão e do vinho, atualizando-se de acordo com a igreja católica romana e supremo sacrifício de Cristo na cruz. A igreja. Santo lugar! Santo evento! Santa fé!

Alguns assistem à missa na TV, às vezes por motivo de saúde, justificável, mas a desculpa que rezar em casa é a mesma que ir à missa é por demais pretensiosa! É querer fazer da reza particular algo melhor que a missa, que é celebrada com a participação de todos os fiéis. Com toda uma comunidade reunida, é energia, é calor humano, é troca, é o olhar, é o choro. A emoção! Nosso corpo também "fala”. Quando ficamos em pé, demonstramos respeito e admiração. Quando nos ajoelhamos ou nos inclinamos durante a missa, declaramos nossa adoração. Ao juntarmos as mãos, mostramos confiança em Deus.

A missa é ação de graças. A missa é sacrifício. O canto faz parte de cada momento. O beijo no altar! O presidente da celebração ao chegar beija o altar que representa Cristo, carinho e reverência por tão sublime lugar. A missa ao vivo e em cores é pura vida! Durante os ritos iniciais, em que o sacerdote entra na igreja e se dirige para o altar, o nosso eu espiritual vibra! "Em nome do Pai, do Filho e do Espírito Santo!" São forças energéticas responsáveis pela evolução do universo cósmico. "Bendito seja Deus que nos uniu no amor de Cristo! "Estamos nos conectando com a luz através de nossas ações.

No ato penitencial, Jesus está ali presente e pedimos que interceda por nós. Naquele instante, aquela luz frente a frente. Compaixão! Despertamos para o amor, sentimos a presença de Deus e nos conectamos com a luz do Criador, a fonte de toda plenitude, satisfação e energia que fomos criados para receber.

Liturgia da palavra. Liturgia eucarística. Preparação para as oferendas. Ofertório. Consagração. Imersão total na fé! Missa é emoção! Missa é arte, é cultura, é beleza, é história, Jesus está presente! Um EVENTO SANTO.

O local mais importante de uma igreja é o altar, pois, ao contrário do que muita gente pensa, as hóstias guardadas nunca poderiam estar ali se não houvesse um altar para consagrá-las.

A missa é uma pausa para o frenesi do mundo. Tem o propósito de nos revelar que sempre teremos alguma coisa, lugar, compromisso ou pessoas esperando por nós lá fora. Tudo parece no seu devido lugar. A missa fica na memória como mais um momento efêmero e bucólico de felicidade.

Dois beijos... 

(*) aninauberaba@gmail.com
gemeasanina@hotmail.com

 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia