JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 21 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Márcia Moreno Campos

O verdadeiro significado

Há mais ou menos 15 anos conheci profissionalmente uma mulher alegre, falante e cheia de humor que atendia a todos com atenção e graça. Dela me aproximei e daí nasceu uma grande amizade. Fiquei conhecendo sua família, um marido e um filho que estava estudando em outro país graças a uma bolsa de estudo conseguida por ser ele um ótimo jogador de Tênis. De vez em quando ela sumia e eu ficava sabendo que tinha ido trabalhar no país em que ele estudava para ajudá-lo a se formar. Nesses anos todos de convivência acompanhamos a vida uma da outra, e eu estava presente quando do falecimento do seu marido e do casamento do filho e nascimento da primeira netinha. Ele se casou no Brasil e se estabeleceu em uma cidade do Estado de São Paulo. Em um dia comum, ela me contou, apavorada, que o filho estava doente. Rezamos juntas e ela foi para a cidade dele acompanhar o tratamento à base de quimioterapia. Ia e vinha sempre que ele precisava dela, por vários anos. Numa ocasião me contou que o filho precisava muito de um transplante de medula e que ela tinha feito o teste de compatibilidade e não deu compatível, porque na verdade ele era adotado e desconhecia o fato. E pior de tudo é que ela não sabia quem eram os pais biológicos. Na época do nascimento, início dos anos 80, crianças nasciam em hospitais públicos e eram dadas em adoção sem muita formalidade e com poucos registros nos livros de então. A aceitação dele a essa nova e surpreendente realidade foi incrível. Acolheu a mãe com carinho e humildade, revigorando suas forças para a busca que se iniciava. Foi uma verdadeira caçada aos pais biológicos. Abracei com ela essa causa e contamos com a ajuda inestimável de verdadeiros anjos, disfarçados de gente. Mas não foi fácil. Por vezes, pensamos em desistir, e só depois de muito tempo conseguimos descobrir que os pais biológicos tinham falecido, mas existiam irmãs por parte de mãe que estavam vivas e que poderiam ser compatíveis. Ele mesmo ligou para uma delas e o reencontro foi emocionante. Todas fizeram exames e apenas uma deu compatível, embora não 100 por cento. Até hoje não foi feito o transplante, pois os médicos aguardam a melhora de sua condição física para realizá-lo. 

Resumindo, assim, parece uma história qualquer. Mas é um exemplo de dedicação, luta e doação. Esse é o verdadeiro significado da missão materna. Mãe é amor. 

Através dessa minha amiga, a quem muito admiro, uma valente guerreira, mãe verdadeira, eu homenageio todas as mães no dia de hoje. E dedico um carinho especial à minha mãe, lúcida aos 85 anos, minha mais fiel leitora.

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia