JM Online

Jornal da Manhã 49 anos

Uberaba, 16 de maio de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Irmã Conceição, uma estrela no céu

Há uma semana o céu acolheu uma estrela reluzente, forte, altruísta e amante da vida: Irmã Conceição Jacintho da Silva. Dominicana que assumiu o carisma na integralidade, sem preocupar-se com as entrelinhas, mas focada na essência, no sentido profundo do Veritas. Venceu a inúmeros desafios diante da saúde, que se tornou frágil depois dos 85 anos. Sua travessia sempre foi ávida, de olhar no horizonte, convicta que o Espírito Santo a iluminava em seus projetos de vida, ousados e certeiros. Amante do estudo, da oração e da contemplação. Testemunhou seu amor a São Domingos nos caminhos educacionais comprometidos com a transformação social, com a promoção do ser humano em diferentes contextos. Assim, pela fidelidade à essência, era exigente e firme em sua postura de mulher pregadora, com amorosidade e formação humanista. Mulher que marcou vidas e abriu caminhos para muitos se tornarem pessoas, realizarem sonhos e projetos. Faço memória, com saudades, de nossos longos papos, quando veio para Uberaba e tornou-se membro da comunidade da Betânia, adaptando-se à vida do interior, contemplando a natureza e a trajetória de vida de suas irmãs. O olhar de orgulho e gratidão quando reencontrou sua ex-aluna do CNSD, atualmente escritora: Maria Antonieta Borges Lopes. Muitas alegrias e conquistas quando esteve em cargos de liderança na Congregação, com uma bela travessia como diretora de Colégios Dominicanos em Curitiba, Brasília e São Paulo. Na capital paulista assumiu a direção do Colégio do Rosário por 23 anos, tornando essa instituição referência nacional na educação integral de qualidade. Em outubro de 1993, nas comemorações do cinquentenário do Colégio, o artista sacro Cláudio Pastro, seu amigo particular, realizou uma obra de arte na fachada dos prédios e na capela, com painéis que ilustram a filosofia e missão educativa do Rosário, legado de Ir. Conceição: “Dar à criança e ao jovem a melhor oportunidade de conquista de sua autoestima, conhecimento e integração com o outro, formas únicas de construir a felicidade segundo um projeto cristão”. Esse legado ultrapassou os muros da escola e perpetuou sua missão evangelizadora.  Ir. Conceição foi fantástica e inovadora junto às Monjas Dominicanas do Mosteiro Cristo Rei, em São Roque/SP, onde ministrava aulas de yoga, retiros e convivência, aos finais de semana, oportunizando novas formas de vida, além de sua presença junto à construção da nova capela do Mosteiro com o artista Cláudio Pastro. Intelectual, sempre elegante, coração humilde e despojado, venceu a várias lutas com a saúde física, pois a mental era imbatível. Entretanto, o mistério dessa pandemia a nocauteou e nos fez encarar a vulnerabilidade da vida: por que a Covid a levou tão rápido, sem um último abraço de gratidão? Certamente, Ir. Conceição, com seu sorriso largo e sereno nos diria: “A vida é bela nos braços amorosos do Pai ”.

Maria de Lourdes Leal dos Santos

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia