JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 22 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Ricardo de Minas Borges

Deus é o silêncio, suas palavras são o tempo

Deus é o silêncio, suas palavras são o tempo

A falta de fé causará a erosão do homem, assim como estamos vendo nos tsunamis e desmoronamentos de barreiras. Parece o Apocalipse. O medo significa o pecado, alguém um dia virá dar o recado. Assim como um índio forte, impávido que descera numa astronave. Ou então levitando, voando dos céus em direção à Terra. Mais apaixonado do que Peri e Romeu e Julieta. Impávido que nem Muhamed Ali, tranquilo e infalível como Bruce Lee. Enigmático como o que há dentro do turbante dos filhos de Gandhi, como a juba do leão. Ou como a presa do Narval. Assim como um mamífero que voa ou um mamífero que vive dentro d‘água. E as coisas que ele dirá farão cumprir, assim, a profecia que nós ainda iremos ter a luz da salvação. Todos esperam o dilúvio que virá em forma de fogo. O homem queimará o homem, soprará suas cinzas, que se inutilizarão em vão. Desperdiçando, assim, um trabalho de alguém que ninguém nunca soube quem foi ao certo (Deus). Estamos vivendo na era do Homem, (assim Como a era do gelo). Hoje, o Homem e sua tecnologia são donos de tudo. Além disto, soma-se o dinheiro, que é a pior de todas as coisas, e se não tivermos cuidado iremos realmente nos destruir. Onde a moral e os bons costumes, o respeito ao próximo acaba é pior do que a bomba de Hiroshima!!! A água não acaba, os montes não acabam, a terra e os animais não acabam. Portanto, depende de nós termos relações mais amáveis, mais fraternas conosco. Para que tenhamos um planeta onde todos vivam bem sem muitas desigualdades sociais. E com respeito ao outro. “Procuramos independência, acreditamos na distância entre nós" – Dinho Ouro Preto. Transcrevo estas ideias baseadas na música "Um Índio", de Caetano Veloso, e do disco "Quanta", de Gilberto Gil, que são trabalhos dos dois maiores artistas brasileiros, que tratam da espiritualidade, religião e fé! Será que temos fé em alguma coisa? Ou a fé se perdeu entre a pressa das grandes cidades? Da notícia rápida, ou do acúmulo de informações da TV? Encontremos um tempo para nós mesmos! Fé na vida, fé no homem, fé no que virá, é só isto que eu peço à Era do Homem.

Ricardo de Minas Borges é jornalista e escreve quinzenalmente para o JM Online.

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia