JM Online

Jornal da Manhã 50 anos

Uberaba, 10 de agosto de 2022 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas.

Outros Articulistas

Guardadas por mais de 30 anos

“João Eurípedes, eis aqui um acórdão do Tribunal de Justiça do Estado de Minas Gerais. O relator é o desembargador Hugo Bengtsson Júnior, um dos mais cultos magistrados da Justiça brasileira. Peço-lhe que comente o voto dele. Seu comentário será publicado na Revista de Crítica Judiciária. No acórdão há como foco uma perícia judicial. A palavra é sua”. Disse-me assim o expert advogado Dr. Edson Prata, além de me propor o “prazo razoável” de cinco dias para a entrega do trabalho.

De início, tremi de cima a baixo; depois, controlei a adrenalina e me debrucei a ler a cópia do processo para absorver o conteúdo da demanda. Lembro-me; a responsabilidade sobre os meus ombros era de tal modo que para folhear o calhamaço de folhas pensei em calçar luvas cirúrgicas. Fui em frente e, depois de compenetradas horas, cheguei à última página. Quem sou eu para comentar o voto de um desembargador do porte de Hugo Bengtsson Júnior, um “monstro sagrado da nossa Magistratura? Esse pensamento, com frequência, me invadia a mente, mas coloquei outros de vigília nas portas de minha casa mental. Só assim tive paz para me concentrar.

Confesso que, embora eu tenha tido contato com o assunto por seguidos 40 anos, poucas vezes vi um magistrado embasar a sua decisão ou voto com tanta profundidade e conhecimento de causa, como fez o desembargador Hugo Bengtsson Júnior. Dizem que “escrever e coçar é só começar”. Comecei por elogiar S. Exa. pela brilhante erudição e depois me veio a sensação de estar face a face com um ser normal do qual as palavras fluíam naturalmente. Escrevi e aprendi muito.

Impressionou-me a forma corajosa, imparcial, objetiva, urbana e revestida do poder da síntese que o ilustre julgador usou no arcabouço do seu voto. Reexaminando os autos por algumas vezes, não me coube outro comportamento senão o de concordar ipsis litteris com o brilhante voto do eminente integrante do nosso Tribunal de Justiça. Tanto é assim que os demais votantes avalizaram sem ressalvas o voto de Bengtsson. Fiz o trabalho, que depois chegou ao conhecimento daquele sobrejuiz.

Certas experiências vivemos e depois não desaparecem da nossa retina mental: ausência de paixão, respeito ao devido processo legal, tratamento refinado aos causídicos e outros predicados, absorvi ali, naquela e noutras oportunidades a mim dadas por Dr. Edson Prata.

Eu devia estas palavras aos dois protagonistas. Elas ficaram guardadas por mais de 30 anos.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia
Fechar