JM Online

Jornal da Manhã 48 anos

Uberaba, 12 de abril de 2021 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

João Eurípedes Sabino

A morte de um astro

No último dia 03/04/2021, assim me expressei nas redes sociais: hoje realmente é um dia triste para mim. Perdi o amigo Agnaldo Timóteo. Sempre fui seu fã, desde 1966, quando comprei um disco dele e dei de presente à minha mãe. “Mamãe estou tão feliz” era o nome da música. Ela ficou muito feliz no Dia das Mães. Eu tinha 17 anos de idade.

A partir de 2005, fizemos amizade e sempre nos falamos. Em 2019, quando ele sofreu um AVC, em Salvador, dediquei-lhe estes versos: Sempre tive a certeza/Que você iria superar/Essa fase de amargar/Causadora de estranheza. Agnaldo Timóteo uma rocha/Forte cerne madeira de lei/Suportou coisas que nem sei/Sua aura de fogo é uma tocha. Levante amigo siga a vida/Seus amigos e fãs esperam/O seu retorno como fizeram/Durante sua carreira renhida. Com a saúde recuperada/O mal ficou todo para trás/Provou para Deus ser capaz/De retomar a sua bela estrada. Onde for seja imbatível e feliz/Que o bem esteja sempre presente/Com a voz encante toda a gente/São os votos deste que diz: SAÚDE AMIGO!

Timóteo me agradeceu e continuamos os contatos. Há três meses lhe sugeri que escrevesse um livro autobiográfico. Ele gostou da ideia, porém me disse que se sentia muito fragilizado e iria optar por gravar vídeos contando a sua história. Confessou-me que o tempo dele estava sendo “abreviado”. Captei a mensagem e concebi a crônica “Como escrever um livro”, enfocando a história de um outro amigo. Enviei a Timóteo, que me disse: Ô Sabino, está me jogando indiretas? Ao ser hospitalizado com a Covid-19, enviei-lhe mensagens e os filhos me respondiam. No dia 03/04, não tive resposta e isso é natural. Morreu o astro de Caratinga.

 Há dez anos, Agnaldo se apresentou no Cine Municipal Vera Cruz, porém quase não cantou porque queriam lhe pagar com cheque. Decidiu receber, depois que lhe ofertei um exemplar do livro “O andarilho; quem é ele?”. Colocou o cheque no bolso do meu paletó e me pediu: Você pode fazer esse papel virar moeda amanhã? Após, cantou e encantou a todos! Tudo filmado pelas lentes do apresentador de TV Ulices Gama (Montanha).

Abaixo os rótulos que certa elite intelectual deu a Agnaldo Timóteo. Ninguém nega o seu legado de: honestidade, generosidade e exemplo de como vencer na vida.

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia