JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 17 de fevereiro de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

João Eurípedes Sabino

Memórias de Brumadinho

Amanhã, exatamente amanhã, 25/01/2020, completa um ano que o Brasil parou para viver tristemente a maior tragédia ambiental da sua história, ocorrida em Brumadinho, secundando aquela registrada em Mariana, no dia 05/11/2015. As duas, lamentavelmente, “tinham” que ocorrer logo em Minas Gerais!Plantonista da história, a jornalista e escritora Júlia Castello Goulart lançará seu livro “MEMÓRIAS DE BRUMADINHO - Vidas que não se apagam”. Em pleno albor da juventude, a autora marcará indelevelmente o seu nome na história.

Qual é o diferencial da obra? Júlia concedeu a palavra a familiares das vítimas do rompimento da Barragem de rejeitos da mineradora Vale do Rio Doce. É o exercício do sagrado direito ao contraditório de capa a capa. Ou seja, o “lado mais fraco” foi ouvido e sua fala virou história.

Mais de duzentas vítimas fatais e milhares de outras que perderam tudo, menos suas vidas, estão condensadas no conteúdo literário trazido à luz por Júlia.

Talento, sensibilidade, determinação e perspicácia, juntos, estão em 208 páginas, que valem por um tratado. A dor dos que ficaram servirá de referência aos que desenvolverão suas teses das mais variadas formas. Cada página é um valioso testamento...

Brumadinho, hoje (24), viu nascer – Uberaba (27) e São Paulo (31) também verão – o nascimento do livro que a editora Autonomia Literária vislumbrou o longo alcance, antes de colocá-lo na fôrma. Sem nenhum ufanismo, é obra literária que já nasce grande! O tempo dirá.

Os que tentam definir a saudade terão o ímpar ensejo para repaginar seus conceitos, além de sentir com clareza o que é: destino, azar, acaso, descaso, (i)responsabilidade, etc.

As causas da tragédia, antes obscuras, transformam-se em imagens claras à medida que o(a) leitor(a) vai escavando por si mesmo(a) o subsolo onde repousam as “Vidas que não se apagam” em Brumadinho. Façam boa leitura, apesar de triste.

Parabéns, Júlia Castello Goulart! Seu livro honra sua querida Uberaba, ao tempo em que a Academia de Letras do Triângulo Mineiro lhe recebe no Quadro de Associados Correspondentes.

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia