JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 21 de outubro de 2019 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

João Eurípedes Sabino

Palestra magistral

Diminui-se a intensidade da luz do auditório no Cine Municipal Vera Cruz e aumenta a claridade no palco. Sobe até ali o representante seccional do Conselho Regional de Administração/MG, Karim Abud Mauad, que saúda o público. É seguido pelo dinâmico conselheiro do CRA, Lucas Amoni, responsável por contagiar a plateia. Na sequência está o presidente do CRA/MG, acadêmico e escritor Jehu Pinto de Aguilar Filho, para desempenhar a missão de anunciar e chamar ao palco o maestro regente e eminente administrador de empresas Raul Marinuzzi, aqui trazido pelo Circuito Mineiro de Administração. 

Intensos aplausos no ar... Sobe ao palco aquele que iria proferir a palestra mais motivadora, objetiva, sensível e esclarecedora que já assisti em toda a minha vida. Refiro-me ao maestro Raul Marinuzzi, cuja docência difere diametralmente de tudo o que conhecemos nesse denso mercado. Integrantes da Orquestra de Cordas do Conservatório Renato Frateschi, de Uberaba, são chamados ao palco. Ali assisti com incomum propriedade a um show de “malabarismo” tendo as Leis Universais como referências. A primeira delas, a de Analogia, nos foi apresentada quando cada músico subitamente se dizia impossibilitado de tocar, alegando impossibilidades involuntárias que, no fundo, eram voluntárias. Aos poucos, a orquestra ruiu.

Mostrando-nos o Homem Natural, suas potencialidades, valores e necessidades, o maestro Marinuzzi provou que nenhuma orquestra, ou qualquer outra instituição, subsistirá sem a presença de um bom “maestro”. Não basta ser regente se os seus liderados não o têm como aquele que possui em sua partitura as partes mantidas nas mãos dos músicos. Vale dizer que, para ser maestro, ter cursos e cursos não basta. A confiança maestro/músico e vice-versa é fator mais do que preponderante. Assim é a empresa. Ver o seu livro “Ser Integral”, em parceria com José Horácio Querido.

“Enquanto as espécies animais permanecem prisioneiras do mundo dos instintos, os representantes do Reino Hominal se vão libertando...”. Frase projetada na tela por Marinuzzi, que vai absolutamente de encontro ao postulado da Logosofia, que sempre pugnou pela existência do quarto reino, o Hominal. Senti-me levitar na poltrona ao ver tal assertiva dita por um maestro, à semelhança do que leio há décadas de outro maestro (mestre em Espanhol), o autor da ciência logosófica, Carlos Bernardo González Pecotche.

Ouvi palavras ditas com tato e dosagem, sem a presença de enfadonhas estatísticas. Gráficos prolixos nem pensar! Ocorre em mim a certeza de que o Conselho de Administração foi extremamente feliz com a escolha do renomado conferencista que corre o mundo, Raul Marinuzzi. Jovens optarão pela profissão de Administradores por sua causa.

Outros conselhos profissionais têm muito a aprender com o CRA/MG.

 

 

DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia