JM Online

Jornal da Manhã 47 anos

Uberaba, 27 de maio de 2020 -

BUSCAR EM TODAS AS SEÇÕES BUSCAR
Buscar

Articulistas

Outros Articulistas

Euseli dos Santos

Liberdade de expressão

Ao analisar o cenário atual, a palavra in-vo-lu-ção aparece borbulhante em meus pensamentos. O leitor deve achar que estou delirando! Sei que a afirmação é, no mínimo, curiosa, porque o senso comum se dividiria em temas ligados à tecnologia, descobertas científicas, diversidade e tantos outros que apresentam o conceito de evolução como premissa. É incontestável que estes conteúdos estão em evidência já faz um tempo. Mas, tudo isso não neutraliza a força do movimento favorável ao fim do Regime Democrático, que vem ganhando terreno desde a última eleição. Há ainda os mais radicais que esbravejam a volta do militarismo. 

Como partidário convicto da Democracia, me mantenho temerário, observando à distância quais as ideias e sentimentos que movem os adeptos de tal ideologia. Atente-se que sou um homem que aceita outras opiniões, mas tudo tem limite, não é, gente?!

Sabe o que é mais triste? É perceber que muitos viveram os horrores dos anos de chumbo. Cadê a compaixão pelos milhares de conterrâneos exilados, torturados e mortos?! Sei que não é por falta de informação, porque existe uma extensa bibliografia disponível em bibliotecas públicas. Nessa hora, infelizmente, sou obrigado a declamar aquele velho ditado: “O povo brasileiro não tem memória”.

Agora que apresentei o contexto, entendeu o porquê da palavra involução? Estamos vivendo tempos de completo paradoxo. Se, por um lado, a tecnologia nos oferece a modernidade em nossas mãos e as minorias são vistas e reconhecidas cada dia mais, por outro existe uma corrente que parece nadar contra a maré dos avanços. As pessoas esquecem que uma das principais bandeiras da Democracia é o direito à LIBERDADE – talvez o valor mais precioso que o ser humano pode usufruir em toda sua existência. Você já pensou ser vigiado o tempo todo? Precisar dar satisfação sobre suas ações do dia a dia? Só não é pior que ser privado da liberdade de expressão! Pois é isso que esses cidadãos estão colocando em risco, quando fazem apologia a um sistema totalitário. A maioria não conhece o poder destruidor da censura. Ela limita as ideias, aprisiona as mentes e destrói a individualidade. Em tempos de discursos verborrágicos em redes sociais seria, no mínimo, uma grande ironia não poder expressar suas opiniões, não é mesmo?

Veja o que a sociedade brasileira conquistou. Não podemos esquecer que a LIBERDADE foi uma conquista das gerações passadas. Quando comunicamos nossas posições políticas ou – melhor ainda – ao criticarmos uma autoridade pública, o mérito é deles! Foram eles que lutaram para podermos discursar sobre qualquer assunto. Inclusive, faço uso do meu direito à Liberdade de Expressão de forma rotineira, neste grande veículo de comunicação, que é o JORNAL DA MANHÃ. Logo, não poderia ser mais entusiasta das prerrogativas que a Democracia me oferece como cidadão e no exercício da minha profissão.

Diante de tudo isso, faço um apelo aos que viveram aprisionados dentro das imposições de um regime totalitário: repensem seu posicionamento. Analisem se eles são mesmo favoráveis ao bem coletivo, que inclui sua tranquilidade e de seus familiares. Por último, quero enviar um recado especial aos jovens: queridos, aproveitem o arsenal de ferramentas para colocar em prática suas ideias e opiniões! Façam bom uso desse poderoso instrumento de exercício de individualidade e capacidade humana denominado LIBERDADE!

Dessa forma, encerro minha Liberdade de Expressão, com a esperança de que o povo brasileiro caminhe sempre para frente com o objetivo de construir uma Nova História.

(*) Advogado militante em Uberaba

 

** Este texto não reflete, necessariamente, a opinião do JORNAL DA MANHÃ. O conteúdo é de responsabilidade exclusiva do autor.
DESENVOLVIDO POR Companhia da Mídia